Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Órgãos da Federação custam 1,8 milhões

O orçamento da Federação Portuguesa de Futebol para 2012/2013 foi ontem aprovado com um aumento de 700% com os gastos de todos os órgãos estatutários da FPF (a direcção anterior, liderada por Gilberto Madaíl, gastou em 2011/2012 pouco mais de 230 mil euros).
24 de Junho de 2012 às 01:00
Hermínio Loureiro, Humberto Coelho e Fernando Gomes são dirigentes da FPF
Hermínio Loureiro, Humberto Coelho e Fernando Gomes são dirigentes da FPF FOTO: Paulo Cordeiro/Lusa

 No documento ontem apresentado e aprovado por larga maioria em Assembleia Geral, no item ‘Órgãos estatutários' incluído em ‘Gastos com serviços e estrutura' consta a verba de 1 854 243 euros. A direcção liderada por Fernando Gomes atribui esta subida às "medidas previstas para o desenvolvimento do futsal, futebol feminino e futebol de praia" e consequente profissionalização da "estrutura directiva".

Outra das circunstâncias que levou ao aumento com os gastos foi, de acordo com a FPF no seu ‘Plano de Actividades', a centralização num só órgão da arbitragem nacional. "Como consequência da ampliação da estrutura e dos recursos humanos que lhe estão afectos verifica-se um aumento de gastos em relação à época de 2011/2012", lê-se no comunicado da FPF.

As contas finais para a próxima temporada desportiva (entre receitas e gastos) registam um saldo negativo de 865 mil euros. Um resultado que a FPF atribui ao aumento dos gastos da estrutura (direcção, arbitragem, disciplina, justiça, entre outros), assim como a ausência de fases finais por selecções, ao contrário da corrente temporada com o Europeu de 2012.


5,5 MILHÕES PARA CAMPANHA DO EURO'2012

As contas da FPF para o próximo ano revelam ainda um gasto com a selecção principal de 5,5 milhões de euros. Este valor inclui os jogos de preparação para o Euro'2012, estágios e prémios para os jogadores, disse ao CM fonte da Federação Portuguesa de Futebol.

Ao todo, a selecção portuguesa gastou na temporada que termina oficialmente no próximo dia 30 de Junho mais de oito milhões de euros (8 127 000).

No lado das receitas está contemplado no exercício de 2011/2012 o valor ganho pela presença na fase final do Euro (8 milhões de euros). A campanha de Portugal até às meias-finais (pelo menos) já valeu aos cofres da FPF mais sete milhões de euros.

ACLAMAÇÃO PARA PROENÇA

No final da Assembleia Geral Ordinária foi também aprovado, por aclamação, um voto de congratulação pela campanha da selecção nacional no Euro'2012 (vai disputar as meias--finais), igualmente estendido à participação de uma equipa de arbitragem portuguesa na final da Liga dos Campeões, liderada por Pedro Proença, que também marca presença na prova que decorre na Polónia e Ucrânia.

O recurso a árbitros estrangeiros nos escalões profissionais, que se encontra referido no regulamento de Arbitragem da Liga de Clubes, foi também aprovado em Assembleia Geral extraordinária da Federação Portuguesa de Futebol, com um resultado de 47 votos a favor, 16 abstenções e 11 contra. Este artigo coloca "preto no branco" a proposta já defendida pela Liga de Clubes no final do campeonato nacional, que terminou em Maio. n

FEDERAÇÃO ORÇAMENTO DIRIGENTES ÓRGÃOS PROENÇA EURO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)