Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

“Paços fica deserta na final da Taça”

Os adeptos do Paços de Ferreira prometem que a cidade vai ficar "deserta" a 31 de Maio, – data em que o clube disputa no Jamor a final da Taça de Portugal, com o FC Porto – e já começaram a pensar na organização da "onda amarela", com que querem invadir o Estádio Nacional. Ninguém quer perder o momento histórico de um clube com 59 anos de vida.

24 de Abril de 2009 às 00:30
Foi num clima de euforia que os jogadores do P. Ferreira foram recebidos pelos fãs na chegada da Madeira
Foi num clima de euforia que os jogadores do P. Ferreira foram recebidos pelos fãs na chegada da Madeira FOTO: Gisela Caridade

Ontem, à chegada ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, cerca de 50 adeptos receberam em euforia os novos heróis. Mas a festa não terminou ali. Continuou no percurso até à Capital do Móvel, onde mais de 300 fervorosos fãs esperavam os castores à entrada da Mata Real. Entre cânticos e gritos de incentivo, todos quiseram felicitar e tocar nos jogadores.

A viver um sonho, muitos pensam em levantar a desejada taça. Há já quem faça contas de matemática simples. "Se ganhámos 2-0 ao Estrela e eles ganharam 2-1 ao Porto, acho que podemos vencer ", disse ao CM, o adepto Ivan Barbosa.

"Não estava confiante para o jogo do Nacional, mas agora já acredito em tudo. Temos uma grande equipa e o céu é o limite", afirmou Francisco Ferreira. "Faço anos a 31 de Maio e a vitória do Paços era a melhor prenda que podia receber", acrescentou.

Já o presidente dos pacenses, Fernando Sequeira, reconheceu as poucas possibilidades de vitória contra o FC Porto, mas sublinhou que tal como os jogadores, pensa que "as finais não são para jogar, são para ganhar". "É uma grande vitória de um clube modesto, mas cumpridor", acrescentou.

TREINADOR JÁ VENCEU A COMPETIÇÃO

O treinador , Paulo Sérgio, vai estar pela segunda vez na final da Taça de Portugal. Em 1989, como jogador do Belenenses levou o troféu, após vitória sobre o Benfica por 2-1. "Estou orgulhoso porque não são muitas as pessoas que o conseguiram. Estou feliz porque quando olho à volta vejo as pessoas contentes ", disse o técnico, ainda no Aeroporto Sá Carneiro. Já na Mata Real, afirmou ao CM: "Este é um marco importante para o clube e o momento mais alto da minha carreira." Pela presença na final da Taça será distribuído um prémio pelo plantel, cujo valor o presidente dos pacenses, Fernando Sequeira, não quis divulgar.

PEDRINHA SEM TEMORES

Nervos de aço – foi assim que o médio Pedrinha partiu para a bola no último segundo do jogo e converteu o penálti , com que o P. Ferreira venceu o Nacional por 3-2. "Senti uma alegria enorme quando a bola entrou. As pernas não tremeram, até porque se sentisse que não estava completamente confiante tinha pedido a um colega para o fazer", disse ao CM o herói da Taça , que marcou dois golos no jogo da Choupana. "Estou a cumprir um sonho de criança", acrescentou. Aliás, Pedrinha juntamente com Cristiano, foram os mais acarinhados pelos sócios dos pacenses, pela forma decisiva como contribuíram para a vitória.

Já Rui Miguel, autor do segundo golo no jogo com o Nacional, considerou um momento único na sua carreira e falou também "de um sonho realizado". Apesar da caminhada "difícil", o médio frisou que a partir do jogo com a Naval (2-0) a equipa começou a acreditar que podia chegar ao Estádio Nacional.

PORMENORES

ROMARIA

Com 16 freguesias e com uma área de 71,0 km2, o concelho de Paços de Ferreira tem 55 692 habitantes.

DO INFERNO AO CÉU

No princípio da época os pacenses estiveram para descer de divisão. Só a decisão da Liga de despromover o Boavista, o evitou.

MEDALHA DE OURO

A Câmara de P. Ferreira vai atribuir ao clube a "medalha de ouro de altruísmo e mérito".

Ver comentários