Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Paulo Sérgio só sai com meio milhão de euros

Paulo Sérgio está a fazer finca-pé e só deixa o Sporting se for ressarcido de meio milhão de euros, a totalidade dos ordenados até ao final do contrato que termina em Julho de 2012.
26 de Fevereiro de 2011 às 00:30
Paulo Sérgio não gostou que Bettencourt não tivesse cumprido as promessas que fez de reforçar a equipa
Paulo Sérgio não gostou que Bettencourt não tivesse cumprido as promessas que fez de reforçar a equipa FOTO: João Miguel Rodrigues

O treinador leonino está revoltado pela forma como tem sido tratado pela SAD e com a demissão de José Eduardo Bettencourt. Mais do que a vertente financeira, a intransigência de Paulo Sérgio em pedir a demissão do clube prende-se com uma questão de brio pessoal. Assim, já fez saber que não abdicará da indemnização total de cerca de meio milhão de euros (ainda tem mais 16 meses de contrato e recebe mensalmente 30 mil euros).

O descontentamento começou com a demissão de José Eduardo Bettencourt que, ao deixar a presidência do clube, levou consigo as promessas feitas ao treinador de tornar a equipa mais competitiva com reforços em Janeiro. Como se não bastasse, além de não chegarem os prometidos reforços, ainda venderam Liedson, o único jogador capaz de resolver jogos.

Apesar de saber que é um elemento indesejado em Alvalade – quer pelos adeptos, quer pela administração da SAD –, Paulo Sérgio está disposto a resistir o máximo de tempo possível, consciente de que nenhum dos candidatos à presidência do clube no sufrágio do dia 26 de Março conta com ele.

Vários administradores da SAD leonina têm pressionado Nobre Guedes – presidente em exercício após a saída de Bettencourt – a tomar a decisão de despedir Paulo Sérgio.

A derrota com o Benfica em Alvalade (2-0) e a eliminação da Liga Europa no último minuto face ao acessível Glasgow Rangers (2-2) intensificaram as pressões. Mas a verdade é que a SAD não tem dinheiro para proceder ao pagamento das indemnizações. É que além do meio milhão de euros para Paulo Sérgio, é necessário também acertar contas com os outros elementos da equipa técnica, como Alberto Cabral (treinador-adjunto), Sérgio Cruz (preparador físico) e Vítor Silvestre (treinador dos guarda-redes).

Por isso, Paulo Sérgio – por quem o Sporting teve de pagar 600 mil euros ao V. Guimarães – vai manter-se no comando da equipa. O jogo de amanhã com o Nacional da Madeira pode agravar ou atenuar o braço-de-ferro entre o treinador e a SAD.

No entanto, o jogo de quarta--feira com o Benfica na Luz, a contar para as meias-finais da Taça da Liga, poderá obrigar a SAD a abrir os cordões à bolsa para acalmar a contestação dos sócios.

PEDRO MENDES LESIONADO PÁRA SEIS SEMANAS

Pedro Mendes vai parar, pelo menos, seis semanas devido a um problema muscular na face posterior da coxa direita. A lesão foi contraída no jogo frente ao Rangers (2-2), que ditou a eliminação do Sporting da Liga Europa. O médio, que completa hoje 32 anos, fica assim de fora da partida de amanhã com o Nacional [20h15, Sport TV 1], tal como Valdés e Izmailov, também inaptos. Daniel Carriço, que ontem regressou aos treinos sem limitações, deverá voltar à titularidade.

"AS CLAQUES É QUE SÃO O PROBLEMA"

Laurentino Dias, secretário de Estado do Desporto, culpou ontem as claques pelos incidentes registados antes e durante a recepção do Sporting ao Benfica (0-2), na segunda-feira. "O principal problema do futebol são os grupos organizados de adeptos", afirmou, durante o seminário ‘Futebol - Um Espectáculo Seguro’.

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Fernando Gomes, também lamentou os incidentes no dérbi: "É preciso banir do estádio os adeptos provocadores de violência". "A distância entre as leis de segurança e a sua execução é bastante grande", reconheceu.

Por sua vez, José Conde Rodrigues, secretário de Estado adjunto da Administração Interna, anunciou a criação de um grupo para discutir a segurança nos eventos desportivos.

SPORTING PAULO SÉRGIO EQUIPA SAÍDA PEDRO MENDES
Ver comentários