Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Porta aberta para quartos

Um Sporting demolidor, implacável e de um pragmatismo notável até ao fatídico minuto 78’ fez ontem história ao vencer o Middlesbrough, em Inglaterra, por 3-2.
11 de Março de 2005 às 00:00
Pedro Barbosa faz o primeiro golo do Sporting: o capitão deu o exemplo
Pedro Barbosa faz o primeiro golo do Sporting: o capitão deu o exemplo FOTO: Gareth Copley/Epa
E que bem jogou o ‘leão’ até esse minuto, anestesiando por completo uma equipa que apenas por duas vezes havia perdido no seu recinto, sempre para a ‘Premiership’. Depois vacilou e o ‘Boro’ ‘mordeu’, fazendo dois golos. Falta a segunda ‘mão’, em Alvalade, para os ‘leões’ carimbarem a presença nos quartos-de-final da Taça UEFA. Basta que o Sporting não perca o desafio. Mas mesmo em caso de derrota, só uma diferença de dois golos ou um ‘goal-average’ superior ao de ontem pode satisfazer os ingleses.
Enakarhire esteve soberbo, Douala e Liedson endiabrados numa equipa personalizada e, a espaços, arrebatadora. Pena a falta de rigor que marcou os instantes finais.
Peseiro optou por mexer no onze e surpreender. Restava ver se pela positiva, como havia acontecido em Roterdão. Deixou Carlos Martins e Sá Pinto de fora, lançou Douala no apoio a Liedson, insistindo em Pedro Barbosa para marcar o ritmo de jogo, alinhando no ‘miolo’ com Rochemback – voltou a assumir o papel de trinco – Moutinho e Viana. E na verdade, exceptuando algumas loucas correrias sem consequências por parte dos ingleses, o ‘leão’ cedo pegou no jogo, assumindo a posse de bola como argumento preferencial para impor o seu futebol.
E nem sequer foi preciso esperar muito para o perigo rondar a baliza de Schwarzer. Porque o Sporting não se limitava a trocar a bola, apostando, isso sim, em jogar no meio-campo contrário. Hugo Viana era então o maestro e principal criador de desequilíbrios. Aos 7’ fez tudo bem, rompendo pela esquerda para o interior da área, faltando-lhe apenas ousadia para atirar à baliza. Voltou a ameaçar aos 13’, errando, de cabeça, uma assistência perfeita de Douala.
Já o Middlesbrough, veloz nos movimentos e matreiro nas intenções mas... pouco sólido, apenas em cruzamentos e lances de bola parada conseguia criar a sensação de perigo e colocar em sentido a defesa ‘leonina’. Mas aí, na hora do maior aperto, o nigeriano era rei e senhor, a voz de comando que conferia solidez ao sector.
Pena é que o Sporting, com o passar do tempo, tenha perdido fulgor e, acima de tudo, volumetria no seu jogo, encolhendo-se perante o maior e natural empertigamento do ‘Boro’. Assim, o intervalo chegaria com o marcador em branco e a certeza desta ser, em condições normais, uma eliminatória ao alcance dos ‘leões’. Mas era preciso confirmá-lo dentro do terreno de jogo, tal como tão bem havia acontecido na aventura de Roterdão.
Dito e feito. O intervalo serviu a preceito para ultimar a estratégia da vitória. E a festa portuguesa começou cedo. Pedro Barbosa, aos 49’, não vacilou e concluiu triangulação perfeita do próprio com Douala e Liedson, colocando o Sporting a vencer em Middlesbrough. E se dúvidas existiam quanto à melhor equipa em campo, estas logo se dissiparam: Douala remediou um falhanço estrondoso com uma assistência notável, aos 53’, para Liedson aumentar a vantagem e comprovar a eficácia ofensiva da equipa.
O ‘Boro’, incrédulo com o desenrolar dos acontecimentos, apostou então tudo, recorrendo a unidades ofensivas – Job – e... futebol directo. Zenden, com o seu pé esquerdo, foi então o mais perigoso e rematador, mantendo sempre Ricardo atento. Isto até Douala, com 65 minutos jogados, fazer à terceira o terceiro dos ‘leões’, depois de tentativas de Viana e Liedson que Schwarzer ainda parou. Só aos 79’ Job reduziu, devolvendo alguma esperança aos ingleses. E tudo piorou quando Ricardo, perto do fim, se atrapalhou e largou uma bola para espaço proíbido que Riggott colocou nas redes. O Riverside explodiu de alegria mas o ‘leão’ guardou o precioso triunfo.
PESEIRO: "DEMOS ESPECTÁCULO"
José Peseiro, no final do encontro, estava encantado com a prestação dos seus jogadores. Teceu rasgados elogios aos mesmos, mas deixou o alerta: “A eliminatória ainda não está ganha”...
“Todos os sportinguistas têm de estar contentes com a nossa equipa. A forma como jogámos e impusemos o nosso futebol foi fantástica, demos espectáculo durante grande parte do encontro, os jogadores estiveram muito bem. No entanto, não podemos ainda pular de alegria. Ainda não acabou a eliminatória. Ganhámos, estamos à frente com um golo de vantagem, mas ainda falta um jogo em Alvalade”, disse Peseiro, que não estava à espera de sofrer dois golos depois do 3-0.
“A pressão final do ‘Boro’ foi fortíssima. Confesso que não estava à espera de sofrer dois golos, mas aconteceu. Não vou criticar os meus jogadores pois foram dois lances confusos. Tenho é que salientar o esforço e a entrega de todos. Vencemos e isso é o mais importante”, sentenciou o treinador dos ‘verde-e-brancos’.
APONTAMENTOS
ERIKSSON ESPIA
O seleccionador de Inglaterra, o sueco Eriksson, assistiu ao Middlesbrough-Sporting para observar jogadores do ‘Boro’. Downing, Morrison e McCahon são alguns dos referenciados.
BENFICA APOIA
O presidente do Benfica enviou uma mensagem ao Sporting antes do jogo. “As maiores felicidades à equipa técnica, jogadores, e demais elementos do vosso prestigiado clube”, escreveu Luís Filipe Vieira.
‘ROCA’ CONFIANTE
O médio brasileiro Fábio Rochemback disse ontem que sonha poder jogar a final da Taça UEFA em Alvalade e garantiu que todo o plantel luta por este objectivo. “Sentimos que chegou a nossa vez”, afirmou.
VIANA OBSERVADO
Representantes do Newcastle estiveram ontem à noite no Riverside Stadium para acompanhar ‘in loco’ a prestação de Hugo Viana, emprestado pelos ‘magpies’ ao Sporting.
TELES POPULAR
Miguel Ribeiro Teles comprovou ontem, mais uma vez, o carinho que os adeptos leoninos lhe dispensam. Vários lhe pediram uma foto para a posteridade. Teles lá foi acedendo.
MCCLAREN À BOND
O técnico do Middlesbrough não faz a coisa por menos e reflecte bem o poder económico do futebol inglês. O seu carro é apenas e só um Aston Martin, idêntico ao de James Bond.
FICHA DE JOGO
Local: Estádio Riverside, Middlesbrough (cerca de 23.739 mil espectadores)
Árbitro: Stefano Farina (Itália)
Middlesbrough: Schwarzer, Reiziger (Nemeth, 45m), Queudrue, Riggott, Southgate, Parnaby, Downing, Doriva, Zenden, Hasselbaink e Graham (Job, 55m). Treinador: Steve McClaren.
Sporting: Ricardo, Rogério, Enakarhire, Hugo, Rui Jorge, Moutinho, Pedro Barbosa (Sá Pinto, 77m), Hugo Viana, Rochemback, Douala (Beto, 90m) e Liedson (Tello, 76m). Treinador: José Peseiro.
Acção Disciplinar: Nada a registar.
Marcador: 0-1, Pedro Barbosa (49m); 0-2, Liedson (53m); 0-3, Douala (65m); 1-3, Job (79m); 2-3, Riggott (86m).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)