Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Portugueses não perdoam Pepsi

Ofendidos com a campanha da Pepsi na Suécia, os portugueses têm utilizado as redes sociais para expressar o seu desagrado com a marca e são vários os que afirmam que nunca mais vão consumir a bebida.
20 de Novembro de 2013 às 11:13
Um boneco com o n.º7 e as cores nacionais num carril
Um boneco com o n.º7 e as cores nacionais num carril FOTO: DR

A Pepsi criou um boneco de Cristiano Ronaldo vestido com o equipamento da seleção nacional, esmagou-lhe a cabeça com uma lata, amarrou-o a uma linha de comboio e fez-lhe vudu. As imagens rapidamente se difundiram por todo o Mundo, através das redes sociais, e os portugueses não gostaram. Indignados, são já milhares os que protestam nas redes sociais.

Em menos de 24 horas a página ‘Nunca mais vou beber Pepsi' já ultrapassou os 50.000 fãs (às 17h10 desta quarta-feira) com o mote: ‘se és português e tens orgulho no teu País, nunca mais bebas Pepsi'.

Entretanto a Pepsi já pediu desculpas a Cristiano Ronaldo e à seleção portuguesa, mas só através da página portuguesa. Na página sueca não há qualquer comentário ao assunto e os portugueses não perdoaram. "Pepsi, as desculpas não se pedem, evitam-se', pode-se ler na página de protesto contra a campanha da marca.

Já na pergunta feita pelo CM na notícia 'Pepsi pede desculpa por fazer vudu a Ronaldo', 94.5% dos leitores (às 11h20 de hoje) consideravam que o pedido de desculpas da marca não é suficiente. Pode votar nesta notícia também.

Nas últimas horas, em defesa do capitão da seleção nacional, dezenas de imagens têm-se espalhado pelas redes sociais. Os portugueses não querem perdoar a Pepsi.

CLIQUE NA IMAGEM E VEJA AS REAÇÕES DOS PORTUGUESES NAS REDES SOCIAIS

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA LER O COMENTÁRIO
DO DIRETOR CRIATIVO DA AGÊNCIA NOSSA, NUNO CARDOSO

CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS FALHADAS

O recente trabalho da Pepsi na Suécia não é caso único, no que a campanhas publicitárias falhadas diz respeito. Ao longo dos anos são inúmeros os casos de anúncios que criaram polémica, acabando por não ajudar à imagem da marca em questão. Conheça alguns exemplos.

Em 2009, a Reebok foi fortemente criticada depois de uma campanha em que os homens eram incentivados a trair as suas namoradas, em vez de estar focada e não no seu plano de exercícios físicos. Os anúncios foram considerados um desrespeito para com as mulheres.

Ainda no ano de 2009, a empresa de ‘fast food’ Burger King lançou diversos anúncios a elogiar o tamanho dos seus hamburgers. Esta campanha foi muito criticada pelas referências sexuais implícitas.

Já a companhia aérea Turkish Airlines, decidiu colocar cartazes em algumas das escadas rolantes dos aeroportos turcos. Contudo, a colocação destes anúncios foi, no mínimo, descuidada: o avião surge direcionado para o chão, como se estivesse a cair.

Mais recentemente, a Nike retirou diversos cartazes protagonizados por Oscar Pistorius. O anúncio mostrava uma fotografia do atleta, acompanhado de uma frase que o classificava como “uma bala”. Os cartazes foram retirados depois do atleta sul-africano ter assassinado, a tiro, a namorada.

Já este ano, em maio, a empresa americana JC Penney foi também “forçada” a retirar vários cartazes a publicitar uma chaleira, que era muito semelhante à imagem de Adolf Hitler. A marca defendeu-se, nas redes sociais, garantindo que a semelhança não foi intencional.

pepsi seleção nacional quinas polémica futebol publicidade
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)