Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Quando só Queiroz acredita

O mundo anda às avessas. E o futebol vai pelo mesmo caminho. Tomemos o exemplo da nossa selecção que inicia hoje o seu Europeu defrontando a Alemanha. Há muito tempo que não se via uma equipa nacional de partir para a fase final de uma competição embalada numa onda tão tristonha de descrença.
9 de Junho de 2012 às 15:00
Quando só Queiroz acredita
Quando só Queiroz acredita

É certo que as expectativas do país em torno da equipa de Paulo Bento nunca foram altas, bem ao invés de outras campanhas em que a conquista de troféus europeus e planetários parecia verosímil. Foi a fase do "desígnio nacional", lembram-se? Essa fase já lá vai...

É um facto que os jogos contra a Macedónia e contra a Turquia não ajudaram à fé numa participação heroica. Também foram tudo menos animadoras as primeiras notícias que nos chegaram da Polónia. No primeiro treino em Opalenic só se marcaram dois golos: o primeiro foi da autoria de Nelson Oliveira que nem sequer é titular, e o segundo foi da autoria do guarda-redes Rui Patrício, na própria baliza, visto que estava a jogar a lateral-esquerdo durante o apronto e baralhou-se com a novidade.

Não é que seja apanágio dos defesas-esquerdos marcarem golos na própria baliza. No jogo com a Turquia foi um defesa central, Pepe, quem marcou na própria baliza o terceiro golo da equipa visitante. Outro sintoma do céu carregado que paira sobre a nossa selecção foi-nos dado por uma notícia breve, brevezinha, do "Record" a propósito da entrevista concedida por Luiz Felipe Scolari à RTP.

Então não é que, ainda no estágio de Óbidos, houve jogadores que "não resistiram a aplaudir as palavras do treinador brasileiro, como se ele estivesse ali presente em pessoa"? Que alguém responsável venha esclarecer rapidamente o país sobre quais foram exactamente as palavras de Scolari que mereceram os aplausos dos jogadores.

Tudo isto somado e não é de admirar que 9 milhões de portugueses em Portugal e outros tantos espalhados pelo mundo não andem com a crença posta na selecção. Aliás só há um, um único português que acredita na selecção. Trata-se do professor Carlos Queiroz. O ex-seleccionador, em declarações à Antena 1 disse-se "confiante no pensamento estratégico" de Paulo Bento e dos jogadores. Haja alguém que acredite. E ainda têm dúvidas de que o mundo anda todo às avessas?

ERRAR É HUMANO

Sim senhor, mas que grande indirecta

O nosso árbitro também já está na Polónia. Ou na Ucrânia? Tanto faz. Depois de ter apitado a final da Liga dos Campeões, o que faz dele o novo António Garrido do futebol português - e nunca é demais repeti-lo -, Pedro Proença seguiu agora viagem rumo ao Europeu. Ao contrário do que lhe sucede em Portugal, onde está autorizado a arbitrar jogos do Benfica sendo benfiquista desde pequenino, no Europeu - que é no estrangeiro -, não vai poder arbitrar jogos da selecção nacional porque sendo português desde pequenino a UEFA não o consente. Quando há conflitos de interesses, enfim, não há nada para ninguém.

À partida para a Ucrânia - ou terá sido para a Polónia? -, Proença foi apanhado pelos jornalistas no Aeroporto. Os profissionais da comunicação lá terão descoberto o dia e a hora do embarque do nosso melhor árbitro que nem sequer gosta de aparecer nestas coisas. Consciente da responsabilidade, Pedro Proença usou um discurso prudente, em nada vaidosão, desejando aos dirigentes dos clubes nacionais que "consigam o que as equipas de arbitragem" por ele lideradas "conseguem", ou seja, chegar "à final da Liga dos Campeões". No meu entender, Proença estava a mandar uma piada indirecta a algum presidente. Ao presidente do Barreirense, seria?

POSITIVO

Peseiro em Braga

Anuncia-se o merecido regresso ao futebol português, depois de uma longa ausência, de um treinador que teve tudo para ser feliz no Sporting mas que viu "morrer na praia" um campeonato nacional e uma Taça UEFA.

NEGATIVO

Simões em xeque

Depois de "roubar" uma Taça de Portugal ao Sporting, José Eduardo Simões foi condenado a 6 anos de prisão por motivos que em nada abonam a bondosa distribuição do erário público conimbricense.

Leiria sofre

Depois de duas décadas na presidência da União de Leiria, saiu esta semana pela porta pequena João Bartolomeu que deixa o clube numa situação dramática e sem rumo definido em termos competitivos.

PÉROLA

"NEM O PAPA FAZIA O SCOLARI MUDAR", Gilberto Madaíl 

O ex-presidente da FPF veio prestar o seu depoimento sobre o caso "Vítor Baía-Scolari-Pinto da Costa", requentado e lançado pelo ex-seleccionador 8 anos passados sobre os factos. Scolari está no Brasil e diz o que quer. E Madaíl, porque já não é presidente da FPF, até se dá ao luxo de brincar com as palavras.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)