Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Queda faz vencedor surpresa

Lorenzo Bernucci (Fassa Bartolo) foi o grande vencedor da 6.ª etapa da Volta à França, disputada ontem entre as cidades de Troyes e Nancy, numa distância de 199Km. No entanto, a vitória só lhe sorriu porque, em dia de ‘sprinters’, os principais candidatos à vitória de ontem viram-se envolvidos numa queda a um quilómetro da meta, nomeadamente Tom Bonne e Robbie McEwen.
8 de Julho de 2005 às 00:00
Curvas e contra-curvas e chuva conduzem a quedas
Curvas e contra-curvas e chuva conduzem a quedas FOTO: Pierre Lablatiniere/Reuters
Desde o início da tirada que alguns ‘aventureiros’ tentaram a sua sorte, mas era Christophe Mengin (La Française), vencedor da etapa de Friburgo em 1997, quem parecia estar melhor posicionado para o sucesso quando arrancou ao quilómetro 35. A queda na última curva fez, porém, cair as suas esperanças. Após a sua queda, foi a vez do pelotão se envolver num acidente na mesma curva, tirando da disputa os melhores ‘sprinters’ da prova.
Bernucci, 25 anos, soube aproveitar bem a confusão e venceu com três segundos de vantagem sobre Alexander Vinokourov, do Cazaquistão. Já o alemão Roert Foerster foi o terceiro, a sete segundos.
Feitas as contas, o hexacampeão Lance Armstrong (Discovery Channel) manteve a camisola amarela de líder, mas o ciclista em maior destaque acabou por ser o cazaque da T-Mobile, Vinokourov, que passou do sétimo para o terceiro lugar, a 1.02 minutos do norte- americano.
O compatriota e colega de equipa George Hincapie manteve a segunda posição da geral, a 55 segundos. O português José Azevedo, também da Discovery Channel, subiu do 16º para o 15º posto, ao cortar ontem a meta em 62º lugar. Como seria de esperar, no final da prova Bernucci estava eufórico com a vitória, a sua primeira no circuito profissional. “É a minha primeira vitória. Estou, obviamente, muito satisfeito. Não estava mesmo à espera. Só quando cortei a meta me apercebi que não tinha mais ninguém atrás de mim e que a vitória era minha. Quando os outros caíram eu dei tudo para vencer”, referiu o ciclista italiano.
ARMSTRONG SAI ILESO
O ciclista norte-americano Lance Armstrong, detentor da camisola amarela, escapou com muita sorte ao acidente que poderia comprometer a sua continuidade em prova e o objectivo de conquistar o seu sétimo título da maior prova velocipédica do mundo. “Era uma chegada muito difícil com muitas curvas e contra-curvas e as condições climatéricas aumentaram substancialmente o risco de quedas, o que veio a acontecer”, começou por referir Armstrong. “Foi terrivelmente assustador passar pelos corredores vítimas da queda, mas tentei apenas passar e chegar à meta”, prosseguiu o chefe-de-fila de José Azevedo na Discovery Channel. “Quando paramos atrás de um acidente como este, temos de escolher o nosso caminho pelo meio e seguir em frente, tentando chegar ao fim sem perder muito tempo”, concluiu Lance Armstrong.
Ver comentários