Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Queixosa investigada

A jovem que acusa Cristiano Ronaldo de abusos sexuais na madrugada de 2 de Outubro, no Hotel Sanderson, em Londres, está a ser investigada pela polícia, que procura avaliar se as acusações têm consistência.
21 de Outubro de 2005 às 00:00
As contas bancárias da queixosa foram vasculhadas para perceber se existem movimentos anormais e a polícia procura também apurar se a jovem, ou alguém em seu nome, tentou vender a história aos jornais. A provar-se este facto, as alegações da queixosa perdem credibilidade, independentemente de a alegada tentativa de vender a história ter sido feita antes ou depois de apresentar queixa à polícia.
“PARECIAM PROSTITUTAS”
Por outro lado, depoimentos de algumas testemunhas publicados pela Imprensa inglesa retiram também força às queixas. O jornal ‘Daily Mirror’ falou com um homem que, alegadamente, estava no bar do Hotel Sanderson na noite em questão e viu Ronaldo com as duas jovens que inicialmente se queixaram à polícia – uma delas já desistiu da queixa. A testemunha, que solicitou o anonimato, ficou impressionada com a conduta de Ronaldo: “Ele portou-se impecavelmente nessa noite. Estava completamente sóbrio e foi muito simpático para toda a gente que o abordava. Para mim, essa duas raparigas tinham ar de prostitutas. Assim que Ronaldo entrou não pararam de olhar para ele. Ele deu autógrafos, posou para fotos e foi sempre muito educado para toda a gente. Ele estava com dois homens que aparentavam ter 40 anos.”
Uma outra testemunha, também não identificada, afirmou ao ‘Daily Mirror’: “Ronaldo estava com alguns amigos e pediram champanhe. Não estavam a atrair as atenções para eles e não se comportavam como futebolistas. Duas raparigas que estavam sentadas no bar começaram a segredar uma à outra, porque devem tê-lo reconhecido e aos seus amigos. Eles também pareceram satisfeitos por vê--las. Elas sentaram-se na mesa deles, foi pedido mais champanhe e todos pareciam estar a divertir-se.”
FRANCESAS OU INGLESAS?
Entretanto, o jornal ‘The Sun’ noticiou que a queixosa é francesa (tal como a amiga que entretanto desistiu da queixa) e que a polícia recolheu as impressões digitais de Ronaldo, bem como amostras de saliva para determinar o ADN do jogador.
No entanto, Jorge Mendes, agente de Ronaldo, emitiu ontem um novo comunicado no qual garante que as queixosas são inglesas. O empresário assegura também que “a afirmação de que Ronaldo foi libertado sob caução é errada, pois tal libertação ocorreu sem a imposição de qualquer medida de coacção, o que não deixa de ser sintomático”.
Jorge Mendes reitera a inocência de Ronaldo e lamenta os danos que este caso está a provocar à imagem do jogador: “Cristiano Ronaldo está absolutamente inocente da acusação que lhe é feita e que é vítima de uma cabala infame, lamentando-se o empolamento que está a ser dado ao assunto e os danos gravíssimos causados à sua tranquilidade e reputação.”
O caso está nas mãos da ‘Unidade Safira’, secção da Scotland Yard especializada em crimes sexuais. A polícia não decidiu se existem indícios suficientes para Ronaldo ser acusado.
RONALDO DEFRONTA TOTENHAM
Ronaldo vai defrontar o Tottenham no próximo sábado, em jogo da Liga inglesa. Apesar da situação complicada que está a atravessar, o internacional português, sabe o CM, sente-se em condições psicológicas para vestir a camisola do Manchester United. E dada a onda de lesões que assola a equipa, Ferguson não quererá certamente prescindir do craque luso. Ronaldo treinou-se ontem de manhã com o plantel do Manchester United e foi bastante acarinhado pelos companheiros. Um batalhão de repórteres esperava o jogador no centro de estágio de Carrington, tendo Ronaldo entrado a toda a velocidade às 9h30 da manhã.
REACÇÕES
FPF SOLIDÁRIA
A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) manifestou ontem a sua solidariedade para com Cristiano Ronaldo através de um comunicado. “A FPF não pode deixar de manifestar-se solidária com o atleta e o seu clube, o Manchester United, desejando que o jogador ultrapasse rapidamente esta situação”, pode ler-se na nota, referindo ainda: “Em alguns países, entre os quais a Inglaterra, acusações infundadas contra figuras públicas não são raras, pelo que a FPF espera que tudo não passe de um mal entendido”.
SJPF DESDRAMATIZA
O Sindicato dos Jogadores Porfissionais de Futebol (SJPF) revelou que está a acompanhar de perto o caso de Ronaldo, mantendo-se em contacto permanente com o sindicato inglês. Joaquim Evangelista manifestou a disponibilidade do organismo que preside para ajudar e desdramatizar o incidente que “deve ser analisado num contexto cultural diferente”.
Ver comentários