Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Quero ganhar o título

José Couceiro foi ontem apresentado como treinador do FC Porto para o próximo ano e meio e, à semelhança do que já havia acontecido com José Mourinho, evidenciou um discurso ambicioso e com a garantia de que vai vencer à frente dos ‘dragões’: “Qualquer profissional quando entra num clube desta dimensão só tem um objectivo, que é ganhar”, explicou o substituto de Víctor Fernández, garantindo que “o FC Porto só tem um objectivo para esta época: ser campeão nacional”. O até agora técnico do Vitória de Setúbal não tem meias palavras: “Eu próprio me recusaria a entrar no FC Porto com um discurso de que íamos ver o que é que vai dar ou que vamos preparar uma equipa para o futuro”.
2 de Fevereiro de 2005 às 00:00
Pinto da Costa admitiu que Couceiro “mais cedo ou mais tarde, iria ser treinador do FC Porto”, acrescentando um episódio curioso: “Ele hoje enverga uma gravata que lhe ofereci no último V. Setúbal-FC Porto [em Novembro]. Dei-lhe a gravata e disse-lhe para a estrear no dia em que fosse apresentado como treinador do FC Porto. Só não pensava, nem eu nem ele, que fosse tão cedo”.
Couceiro sustenta que não há tempo a perder, apontando desde já baterias para o jogo com o Estoril: “Não vamos ter tempo para lamentações, temos é de aumentar os nossos níveis de confiança, ganhar estabilidade e ganhar jogos”, explicou o treinador, acrescentando que hoje, quando pela primeira vez enfrentar os jogadores, vai explicar que “não há ninguém que ganhe sem um bom grupo, um grupo coeso. As grandes equipas não se fazem só por ter grandes jogadores. Este é um jogo colectivo e temos de estar todos juntos, independentemente de já termos perdido 15 pontos em casa...”
O técnico traça o ataque ao primeiro lugar, reforçando a ideia de que é necessário ganhar todos os jogos, “a não ser que o Braga faça a surpresa de ganhar os jogos todos também. Não acredito que isso seja possível...”, reforçando a ideia que também há coisas a melhorar: “Estou num grande clube e nos grande clubes tem de haver muitas coisa que está bem. Não foi por acaso que o FC Porto ainda é campeão europeu, campeão nacional e campeão do mundo”. O adjunto Pedro Martins acompanha Couceiro, numa equipa técnica que mantém André e Aloísio, dupla que ontem orientou o treino ainda sem os reforços Ibson e Bonfim.
PERFIL
Nome: José Júlio de Carvalho Peyroteo Martins Couceiro
Data de Nascimento: 04.10.1962
Naturalidade: Lisboa
Clubes como treinador: Alverca e V. Setúbal
José Couceiro começou a jogar futebol nos iniciados do Belenenses, carreira a que pôs fim aos 30 anos. Nessa altura, o sobrinho-neto do ‘violino’ Peyroteo assume a presidência do Sindicato dos Jogadores de Futebol Profissional, cargo que trocou pelo de director-geral da SAD do Sporting, na presidência de José Roquette. Foi membro do Conselho Superior do Desporto e entrou no Alverca pela porta da administração da SAD, onde acabou a treinar a equipa. Foi contratado como treinador do Vitória de Setúbal na temporada de 2004/2005, mas saiu agora, a meio da época, para ser o treinador do FC Porto. Aos 42 anos, substitui Víctor Fernández no lugar de técnico do campeão europeu e detentor da Taça Intercontinental. Hoje é também consultor de um fundo de investimento em ‘passes’ de jogadores.
PEDRO MARTINS É O ADJUNTO
Pedro Martins, adjunto de José Couceiro no V. Setúbal, acompanha o novo treinador do FC Porto na mudança para o Dragão. Apesar de ter apenas mais oito anos que Martins, de 34 anos, Couceiro foi treinador do antigo médio no Alverca. Depois de se evidenciar no Guimarães, a par de Pedro Barbosa, e de rumar ao Sporting, Pedro Martins mudou-se para Alverca, onde mais tarde assumiu funções de adjunto. No final da época transacta, quando Chumbita Nunes, presidente dos sadinos, convidou Couceiro, o técnico não hesitou em levar Pedro Martins consigo.
Quanto ao V. Setúbal, o adjunto Carlos Cardoso vai orientar a equipa até que a SAD decida se vai contratar novo técnico. Com o clube a três triunfos da manutenção e em situação económica difícil, Cardoso pode mesmo ser a solução até final da época: “Vamos analisar e ver o que é mais correcto fazer”, disse ao CM Chumbita Nunes, elogiando Couceiro: “Sempre disse que um dia treinaria um grande”.
REACÇÕES
"PORTUGUÊS E COMPETENTE"
“A rescisão com Víctor Fernández foi uma medida ponderada. Por razões difíceis de entender, criou-se uma imagem de indisciplina e nervosismo. Couceiro, que conheço bem, além de ser português, é um técnico conhecedor e muito competente”. Pôncio Monteiro (ex-dirigente)
"DESNORTE DE CARNAVAL"
“Depois do discurso miserável do presidente da SAD, Pinto da Costa, em Espinho, é claro o desnorte que está a levar a instituição para o desastre. É mais uma partida de Carnaval. Ao José Couceiro desejo felicidades, é um homem experiente que já foi director e gestor desportivo”. Octávio Machado (ex-treinador)
"OPORTUNIDADE A NÃO PERDER"
“Couceiro tem uma tarefa difícil pela frente mas nenhum treinador recusaria esta oportunidade de ouro. Vai ter de analisar as vertentes psicológicas, do colectivo e individuais de cada jogador. Ser o terceiro treinador numa época não é fácil, vai ter de reorganizar”. Frasco, (ex-jogador)
"SABE GERIR UM PLANTEL"
“O José Couceiro tem tudo para fazer um bom trabalho no Porto. É um grande treinador e tem as qualidades necessárias para que tudo lhe corra bem. Além de perceber muito de futebol é um excelente homem. Sabe conversar com os jogadores e gerir o plantel”. Jorginho (jogador do V. Setúbal)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)