Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

‘QUERO SER APENAS O JOSÉ AZEVEDO’

O único português no Tour de 2002 está optimista e confiante num bom desempenho
4 de Julho de 2002 às 22:46
A poucas horas do arranque do 89º Tour de França, o único português presente neste pelotão que reúne a fina flor do ciclismo internacional, José Azevedo, o terceiro homem (por enquanto…) da formação espanhola da ONCE, conduzida por Manolo Saínz, foi o último do esquadrão amarelo a chegar ao Grão-Ducado, por atraso do avião que o trouxe directamente do Porto, mas nem por isso perdeu a tranquilidade habitual perante a responsabilidade de participar na mais importante competição por etapas do mundo.

Foram desse teor as suas primeiras declarações ao enviado especial do 'CM', momentos antes da saída para o seu último treino: "Estou consciente das responsabilidades que sobre mim recaem nesta minha estreia no 'Tour' que representa a concretização de um sonho acalentado desde o tempo em que, ainda miúdo, já sentia grande atracção pelo ciclismo."

Entramos, de seguida, no 'jogo de pergunta-resposta':

CM - Responsabilidade ainda maior por aquilo que os lusos esperam de si?

JA - Estou tranquilo - repetiu - mas, como é natural, com grande expectativa e disposto a corresponder àquilo que me for pedido pelo Manolo (o técnico da equipa) e estar à altura das suas exigências, sobretudo contribuir para o êxito do Beloki, pois é nele que a equipa vai apostar.

CM - Qual é a sua posição na equipa?

JA - Sou o terceiro homem.

CM - E quem é o segundo?

JA - É o Igor Galdeano. Toda a equipa irá trabalhar para esses dois corredores, os quais tem missões diferentes de acordo com as características particulares de cada um deles.

CM - Em que especialidades se sente mais à-vontade?

JA - Primeiro que tudo desejo que a chuva apareça o menos possível durante a corrida. As minhas preferências vão para a montanha e para os contra-relógios, pois é aí que poderei ter as melhores oportunidades.

CM - Se pudesse escolher, preferia ganhar uma etapa ou terminar o 'Tour' classificado nos dez primeiros?

JA - Ganhar uma etapa é sempre um resultado muito bom, que dá grande visibilidade a um ciclista, mas dou mais valor a uma posição no 'top-ten'. No entanto, à partida não penso em nenhuma dessas situações, mas somente em ajudar o Beloki e o Igor, para que um deles seja o vencedor ou que, pelo menos, dispute a vitória.

CM - Acredita que Armstrong irá conseguir a sua quarta vitória?

JA - Sim , acredito. Mas não há vencedores antecipados. Há muita gente que o aponta já como o vencedor, mas eu acho que não se pode pensar assim. Aquilo que é legítimo dizer é que, de facto, Armstrong parte como o favorito número um, mas todos nós estamos no 'Tour' igualmente com ambições e, falo pela Once, também somos candidatos e acalentamos esperanças. Não podemos partir pensando que o Armstong já ganhou a corrida. Ele pode vir a ser o vencedor, mas nós iremos dar-lhe luta...

CM - Espera dar continuidade aos melhores resultados que outros lusos já alcançaram no 'Tour', principalmente Joaquim Agostinho?

JA - Agostinho foi um caso à parte. Por mim, quero ser apenas o José Azevedo e procurar fazer o meu percurso de ciclista profissional tentando dar o melhor de mim mesmo. No final far-se-á o balanço. Não vou para estrada obcecado em ganhar uma etapa, como fizeram Agostinho e Acácio Silva. Gostava muito de vencer uma etapa e de alcançar um bom lugar, para ter uma certa satisfação pessoal e para corresponder à confiança que em mim depositaram. Cumpri integralmente o calendário que me foi atribuído com vista à participação no 'Tour' e se as coisas não correrem bem não será por culpa do técnico.

CM - Em que condições é que se sente neste momento?

JA - Estou há três semanas sem competir, mas a partir da Fleche Wallone sinto que tenho vindo a melhorar e as sensações que tive nestes últimos dias são idênticas às que experimentei antes da Bicicleta Basca, onde acho que fiz boas classificações. Estou a sentir-me bem, mas só quando começar a competição é que terei uma ideia exacta de como estou.

CM - O contra-relógio por equipas vai ser uma boa oportunidade?

JA - Sim, a Once tem uma equipa forte e iremos tentar fazer aí uma boa prova para criarmos diferenças entre alguns do favoritos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)