Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Quique Setién diz nunca ter sonhado com "grande desafio" de treinar FC Barcelona

Treinador assinou um contrato válido até 30 de junho de 2022.
Lusa 14 de Janeiro de 2020 às 15:55
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
Quique Setién
O novo treinador do FC Barcelona, Quique Setién, admitiu esta terça-feira, em conferência de imprensa, que nem nos "melhores sonhos" imaginou que poderia enfrentar o "grande desafio" de orientar o campeão em título da Liga espanhola de futebol.

"Nem nos meus melhores sonhos podia imaginar estar aqui", reconheceu o técnico de 61 anos, que substituiu Ernesto Valverde no comando dos 'culés', após a derrota nas meias-finais da Supertaça de Espanha, com o Atlético de Madrid (3-2).

Segundo o novo treinador do 'Barça', clube em que joga o português Nelson Semedo, o "grande desafio" será enfrentado com "entusiasmo, vontade de ganhar e confiança", que traz para o cargo e vai procurar transmitir ao plantel que agora orienta.

"Hoje treinámos pela primeira vez, ontem [segunda-feira] estava a passear ao lado das vacas, na minha terra. Hoje estou a treinar o Barcelona. É uma equipa que nunca vou conseguir bater [num emprego futuro], isto é o máximo", acrescentou.

Sobre objetivos, Setién foi taxativo: "ganhar tudo o que se possa ganhar", até porque a cultura dos catalães é a de "melhorar-se a cada ano e conseguir os máximos títulos possíveis, além de jogar bem".

Setién deixou ainda para outra altura uma discussão sobre o sistema tático, entre o 4-4-2 e o 4-3-3, mas já falou com os jogadores e quer entrosar-se com a "filosofia" daquele emblema, desvalorizando a falta de títulos a título individual e realçando que a ausência do uruguaio Luis Suárez, lesionado, bem como a inclusão de mais jogadores da academia 'culé', são assuntos para os quais descobrirá solução depois das primeiras sessões de trabalho.

Na apresentação do novo treinador, o presidente do clube catalão, Josep Maria Bartomeu, justificou a decisão de despedir Valverde com o facto de a dinâmica da equipa "ser melhorável, apesar de os resultados estarem muito bem".

"Precisávamos de um impulso para enfrentar a segunda metade da temporada. Os nossos objetivos são máximos e, com esta nova dinâmica, acreditamos que podemos ganhar a Liga, a Liga dos Campeões e a Taça do Rei", acrescentou.

Setién, natural da Cantábria e antigo treinador do Bétis, assinou um contrato válido até 30 de junho de 2022, um ano depois das eleições para presidente do emblema espanhol, razão pela qual foi introduzida uma cláusula "de rescisão caso o novo presidente queira mudar".

O FC Barcelona está no primeiro lugar da 'La Liga', em igualdade pontual com o Real Madrid, ambos com 40 pontos, ao fim de 19 jornadas, e segue em prova na Liga dos Campeões, em que defronta o Nápoles nos oitavos de final, e na Taça do Rei.

Quique Setién FC Barcelona Liga dos Campeões Ernesto Valverde Barcelona desporto futebol eventos desportivos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)