Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Racismo põe FPF em alerta

Os 100 km que separam Joanesburgo, cidade que vai acolher o estágio de Portugal e Ventersdorp, local onde foi assassinado o líder do movimento de Extrema-direita, Eugène Terreblanche, estão a preocupar os responsáveis da Federação Portuguesa de Futebol.
6 de Abril de 2010 às 00:30
A segurança na África do Sul volta a ser um problema para Queiroz
A segurança na África do Sul volta a ser um problema para Queiroz FOTO: José Manuel Ribeiro/Reuters

"Acreditamos que todas estas ameaças à participação no Mundial foram feitas no calor desta morte, mas ainda assim estamos atentos e vamos aguardar pelas determinações da FIFA em termos de segurança", disse ao CM fonte da Federação Portuguesa de Futebol, que para já não vai fazer qualquer comunicado oficial.

A recente viagem do seleccionador Carlos Queiroz à África do Sul tranquilizou na altura os dirigentes portugueses, mas este assassinato e a onda de ódio racista despoletada veio aumentar a insegurança. "Até lá as autoridades locais vão fazer tudo para que este temor e receio possam desaparecer", tranquilizou a mesma fonte.

Na África do Sul, a comunidade portuguesa está serena. "Não há notícia de qualquer escaramuça. O país está calmo e a situação está sob controlo", afirmou o padre Carlos Gabriel à RR.

Depois de Terreblanche ter sido assassinado no passado sábado por dois trabalhadores negros, os responsáveis do Movimento de Resistência Afrikaner (AWB) juraram vingança, mas ontem vieram serenar os ânimos. "O AWB não se vai envolver em nenhuma forma de retaliação violenta para vingar a morte de Terreblanche", disse Pieter Steyn, um dos responsáveis pelo movimento.

SAIBA MAIS

JOGOS OLÍMPICOS

Nos Jogos Olímpicos de Munique (1972) 11 atletas israelitas foram assassinados por um grupo terrorista palestiniano. Em 1996, nos JO de Atlanta, uma bomba explodiu, provocando a morte a duas pessoas e ferimentos em 111.

2008

Ano em que a mais importante prova de todo-o-terreno, o Rali Dakar, foi cancelado devido à falta de segurança nos troços que passam pela Mauritânia.

2

Número de mortos dentro da comitiva do Togo, depois de um atentado no enclave de Cabinda antes do início da CAN, que teve lugar este ano, em Angola.

INTERPOL NO MUNDIAL

Na passada semana a Interpol garantiu não haver ameaças terroristas que pudessem colocar em causa a segurança.

20 MIL KM ATÉ AO MUNDIAL

Aos 52 anos, Osvaldo Garcia partiu ontem de Penafiel com o objectivo de chegar à África do Sul daqui a dois meses. Vai cumprir os cerca de 20 mil quilómetros sozinho e aos comandos de uma moto totalmente construída por uma marca portuguesa com o objectivo de entregar uma bandeira com as cores nacionais à comitiva portuguesa .

O piloto, ex-campeão de Enduro, já combinou inclusive com os responsáveis federativos assistir ao primeiro jogo de Portugal na competição, diante da Costa do Marfim, a 15 Junho.

Osvaldo Garcia, que foi incentivado pelo guitarrista dos Xutos & Pontapés Zé Pedro antes da viagem, teme apenas a instabilidade política que se vive em alguns dos 14 países que vai atravessar. "Vou procurar andar por localidades mais pequenas para evitar problemas", disse.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)