Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Receita vitoriosa estava nos suplentes

O Nacional venceu ontem o V. Setúbal num jogo agradável e com duas partes distintas. A primeira foi equilibrada, enquanto a segunda foi dominada pela equipa de Manuel Machado.
2 de Novembro de 2009 às 00:30
O defesa setubalense Collin disputa a bola com o madeirense Mateus
O defesa setubalense Collin disputa a bola com o madeirense Mateus FOTO: Homem de Gouveia/Lusa

Os madeirenses rubricaram uma entrada a larga escala, criando duas excelentes ocasiões para marcar nos primeiros 4 minutos de jogo, deixando o conjunto sadino em alerta máximo. Mas foram os continentais a chegar ao golo por Keita, na transformação de uma indiscutível grande penalidade cometida por Clebão sobre Hélder Barbosa.

Os nacionalistas não baixaram o ritmo e, logo depois, estiveram à beira do empate num cabeceamento de Pecnik que Nuno Santos defendeu em grande estilo. Com o decorrer dos minutos, a equipa de Manuel Fernandes assentou tacticamente e foi subindo no terreno com segurança e até desperdiçou uma boa ocasião, por Keita.

O Nacional chegou ao empate num soberbo golpe de cabeça de Pecnik nos descontos.

Na etapa final, o filme repetiu-se e os alvi-negros desenharam um início demolidor. Aliás, o sentido de jogo foi quase único e direccionado à baliza do (quase) intransponível Nuno Santos. A organização defensiva dos setubalenses só baqueou aos 86 minutos, quando Anselmo, a última aposta de Manuel Machado, apontou o golo que trouxe justiça ao marcador.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)