Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Reforços prontos para aquecer dérbi

Chegar, ver e jogar. Miccoli, Karagounis, João Alves e Wender arriscam debutar pelos seus novos emblemas no mais histórico confronto do futebol português, o Sporting-Benfica. Estarão eles preparados para isso, física e psicologicamente? E os técnicos, que riscos correm? Que mudanças terão de fazer e quem terão de sacrificar para dar sentido ao esforço contratual de última hora feito pelos dirigientes?
2 de Setembro de 2005 às 00:00
As questões não são de resposta fácil. Mas com base em experiências anteriores e tomando como ponto de partida a experiência dos jogadores em questão, pode dizer-se, com algumas garantias, que todos eles estão prontos para jogar. De resto, o CM falou com técnicos de larga experiência, que já assistiram a muitas ‘premiéres’, e parece ser um dado consensual admitir que o eventual risco que os treinadores correm está perfeitamente controlado, pelo valor dos atletas em causa.
Vamos por partes. Do ponto de vista físico, a questão é facilmente ultrapassavável. A época está a iniciar-se e mesmo que alguns deles não tenham ainda competido, fizeram as preparações de pré-época pelas suas equipas. É só continuar a ‘rolar’, até porque não há registo de que algum destes quatro jogadores tenha alguma mazela por debelar.
Depois, há a questão da ambientação ao clube. Wender e Alves já estavam em Portugal, falam a língua e têm amigos (ou pelo menos conhecimentos) no Sporting. Com Miccoli e Karagounis já não é assim, mas esta lacuna é ultrapassada com a experiência adquirida numa das mais exigentes ligas europeias, onde as ‘altas pressões’ separam o trigo do jóio. Nenhum deles estava a jogar e isso pode ajudar no esforço de integração, pois estão ‘famintos’ de competição e desejosos de mostrar serviço.
No plano táctico, finalmente, parecem não existir dúvidas: Peseiro e Koeman sabem exactamente aquilo que pretendiam (e por isso estes jogadores – e não outros – foram contratados após extenuantes ‘braços-de-ferro’). Eles irão ‘cair’ nos onzes como peças fundamentais de um puzzle por agora incompleto.
OPINIÕES TÉCNICAS
'HABITUADOS À PRESSÃO'
Octávio Machado lançou Hélder Postiga num jogo contra o Sporting. E o paraguaio César Ramirez... frente ao Benfica. Por isso, vê com naturalidade as estreias no dérbi que se aproxima: “Tratam-se de grandes jogadores.
No caso dos dois do Benfica, chegam de Itália e estão prontos a jogar nestes ambientes, pois no país de onde vêm a pressão dos grandes jogos existe todos os domingos. Mesmo o grego, chegando dois ou três dias antes à Luz, pode jogar, pois tem grande cultura táctica.
Os do Sporting, por outro lado, têm a vantagem de conhecer o futebol português e de já terem jogado contra o Benfica. Todos eles se irão integrar num modelo que está definido, por isso é mais fácil”.
'LÍNGUAGEM É UNIVERSAL'
O treinador e comentador Manuel pedro Gomes está convicto de que os quatro reforços estão prontos a estrear-se no dérbi.
“Em termos de língua, para os estrangeiros, o problema nem se coloca, pois a linguagem do futebol é universal. Além disso, são jogadores muito experientes. O treinador pode confiar neles. O João Alves, o mais novo de todos, estreou-se recentemente pela selecção e viu-se que estava à vontade, até fez um passe para golo. O Wender já leva muitos anos de futebol português. Os do Benfica vêm de uma liga de grande competitividade e até psicologicamente é importante, para eles, chegar e jogar. Estão desejosos de mostrar serviço e o técnico pode ganhar com isso”.
‘ÁGUIAS’ COM ‘BAPTISMO DE VOO’ CONTRA O SPORTING
PIETRA
Minervino Pietra estreou-se com a camisola do Benfica no dia 4/9/76, em Alvalade. John Mortimore era o treinador e o Sporting ganhou por 3-0.
ÁLVARO
Pela mão do húngaro Baroti, Álvaro Magalhães fez a estreia pelo Benfica (1/11/81) contra o velho rival. O jogo realizou-se na Luz e o resultado foi 1-1.
CADETE
Após ter jogador vários dérbis do outro lado, Cadete fez o seu primeiro jogo pelo Benfica em Alvalade (30/1/99). Ganhou 2-1, com Souness como técnico.
MACHAIRIDIS
Karagounis não será o primeiro grego a estrear-se pelo Benfica logo num dérbi. Machairidis fê-lo em 9/1/2000, na Luz (0-0), com Heynckes.
‘LEÕES’ COM PRIMEIRO RUGIDO FRENTE AO BENFICA
DINIS
O ‘brinca na areia’, como ficou conhecido, debutou como ‘leão’ no dia 9/11/69, em Alvalade, frente ao Benfica (1-0). Fernando Vaz era o técnico.
CONHÉ
Vindo da extinta CUF do Barreiro, o guarda-redes Conhé estreou-se no Sporting em 1976. Ganhou 3-0 ao Benfica, sob o comando técnico de Jimmy
FREIRE
Estreou-se na primeira equipa do Sporting em 1977, lançado por Jimmy Hagan. Frente ao Benfica (vitória por 3-0) não marcou, mas deu a marcar.
JORDÃO
O primeiro jogo pelo Sporting foi contra o antigo clube, o Benfica. Mas com o Saragoça pelo meio. Foi em finais de 77 (1-1). O técnico era Paulo Emílio.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)