Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Regresso da magia negra

O angolano reencontrou a glória e a alegria é visível no rosto do mais recente herói dos benfiquistas. O CM procurou conhecer melhor este eterno ‘menino’ que faz as delícias dos amantes de futebol pelas suas capacidades técnicas e pela paixão que tem pelo desporto-rei.
30 de Abril de 2005 às 00:00
O avançado angolano regressou aos relvados com o seu jeito  gingão e a sua 'magia negra' que encantam adeptos de todos os clubes
O avançado angolano regressou aos relvados com o seu jeito gingão e a sua 'magia negra' que encantam adeptos de todos os clubes FOTO: Paulo Calado/Record
Pedro Mantorras voltou com a sua raça e fome de golos. “Sou eu”, foi a frase que ouvimos depois de marcar os primeiros golos, ao mesmo tempo que batia com a mão no peito. Sinal de que o angolano estava de volta, para ficar. Reflexo de uma mistura de raiva e satisfação de alguém que não quis aceitar que poderia ter chegado o fim. Fonte de confiança para os que nunca duvidaram dele. Após dois anos de calvário, Mantorras voltou aos momentos de glória, ajudando o seu clube com golos decisivos que mantêm o Benfica na frente da SuperLiga. Um regresso grandioso.
Simples, humilde e modesto, é assim que o avançado angolano é descrito pelos que o conhecem. O CM esteve no bairro onde Mantorras vive, na pequena localidade de Marisol, e falou com algumas pessoas da vizinhança que, por um ou outro motivo, já se cruzaram com o jogador ‘encarnado’. Vizinhos e conhecidos descrevem o angolano como uma pessoa pacata, reservada, educada e, acima de tudo, feliz.
Pedro Mantorras mudou-se para a casa onde vive actualmente, com a mulher, Maria Júlia, e os filhos, Ina e Luís, há cerca de sete meses. Consta que foi Luís Filipe Vieira e a sua esposa, que vivem a poucos metros da casa do jogador benfiquista, que trataram de tudo, ajudando, inclusive, o casal a instalar-se e a adaptar-se a uma nova realidade. A relação de amizade e de cumplicidade entre o número 9 ‘encarnado’ e o líder benfiquista é bem conhecida, e, por ali, todos valorizam e comentam a importância e influência que Luís Filipe Vieira tem na vida do jogador.
“O ‘padrinho’ dele é que o trouxe para cá e é ele que orienta o dinheiro do Mantorras”, afirmou, sem dúvida, Adriano de Oliveira, proprietário da Marisqueira Braemar frequentada pelo avançado e pela sua esposa. Todos descrevem o casal como pessoas modestas e educadas, salientando que Maria Júlia ou ‘Nina’, como é carinhosamente tratada, é menos reservada que o marido.
Paula Oliveira, proprietária da Churrasqueira Braemar, diz que a mulher do jogador é uma das suas melhores clientes. “O Mantorras gosta muito dos meus cacetes. São bons clientes e, como ela é muito gulosa, leva sempre muitos bolos. A ‘Nina’ é muito simpática. A presença dela faz-se notar ainda antes de entrar na loja porque fala muito e muito alto. Normalmente falamos sobre futebol, mas também sobre o marido. Diz que ele está melhor, muito satisfeito e que não tenciona sair do Benfica. É uma pessoa de grande simplicidade”, confessou Paula.
DE MENINO DE RUA A MENINO DE OURO
Pedro Manuel Torres nasceu em Luanda no dia 18 de Março de 1982. Perdeu o pai e mãe com apenas 13 anos e viu-se obrigado a sobreviver. As demonstrações de coragem a que já nos habituou vêm desde aí. Sozinho, com três irmãos mais novos para criar, Mantorras passou a viver na rua. Passou fome, mas encontrava no futebol uma fuga às rasteiras que a vida lhe pregava. Os jogos com os amigos nas ruas de Luanda eram um escape para o menino que foi obrigado a crescer antes do tempo. José Romão, treinador que lançou o jogador no campeonato português, recorda toda a sua vivacidade e paixão que viu em Mantorras. “O Pedro tinha uma alegria, um ritual e uma paixão que eu volto a ver hoje quando joga pelo Benfica. É um jogador fantástico, dono de uma grande vivacidade, velocidade e potência. Se recuperar a cem por cento, vai ser o jogador que sempre desejou ser”, afirmou Romão.
GOLOS SALVAM 'ENCARNADOS'
São cinco os golos marcados em 11 jogos na SuperLiga. Só nas últimas seis jornadas, nas quais jogou cerca de 210 minutos, o angolano marcou quatro. Tentos apontados em encontros decisivos, como frente ao Marítimo (desfez o empate a 3 golos), Leiria (impediu a vitória adversária, como o golo do empate a uma bola) e Estoril (também a selar a vitória por 2-1) garantiram às ‘águias’ pontos muito importantes. Ainda não está a cem por cento, nem pode jogar 90 minutos, mas está no bom caminho. Depois do calvário, a renovação com o Benfica já está em marcha.
'SÓ DEUS SABE ONDE É QUE ELE ARRANJOU TANTA FORÇA'
Diz o ditado que por trás de um grande homem está uma grande mulher. No caso de Mantorras essa mulher é Maria Júlia. ‘Nina’, como é tratada pelos mais próximos, tem acompanhado o seu marido em todos os momentos, transmitindo-lhe força e optimismo.
Ela e os dois filhos do casal, Ina (6 anos) e Luís (4 anos) são um grande apoio para o avançado angolano que sabe que, quando chega a casa, pode contar com o amor e carinho da família. Maria Júlia disse ao CM que Mantorras está bem e que isso é o mais importante. “O Pedro está muito satisfeito. Está a correr tudo bem e agora vamos ver se somos campeões. Neste momento o mais importante são os golos do Pedro e o título para o Benfica. Ele sente-se bem e está optimista, é isso que importa. O resto logo se vê”, confessou, sem esconder o orgulho que sente pelo regresso do marido aos golos.
A mulher do avançado sabe que ele ainda não está a cem por cento, mas tem fé numa recuperação total: “Ele está a recuperar bem da lesão. Continua a fazer exercícios específicos porque não está a cem por cento e ainda não pode jogar os 90 minutos, mas está a correr tudo bem”.
Maria Júlia apoiou sempre o marido e contou com a ajuda de familiares e amigos nesta difícil tarefa. Ainda assim, confessa que não sabe onde Pedro arranjou coragem para superar a situação delicada por que passou. “Só Deus sabe onde é que ele arranjou tanta força, ele tem muita coragem. A família é um grande apoio para ele. O Luís está tão feliz com o pai a fazer golos e está sempre ansioso pela entrada dele”, disse ‘Nina’, com um sorriso nos lábios. Amigos, adeptos e compatriotas fazem questão de dar apoio ao jogador, algo que ambos agradecem. “Sentimos muito apoio dos adeptos, da família benfiquista, dos dirigentes, dos fisoterapeutas e de todos. Depois dos jogos o telefone não pára. Em Angola manifestam muito o apoio ao Pedro e os mais chegados, os amigos, estão sempre a ligar para saber como é que ele está, para dar felicidades e os parabéns ao Pedro pelos golos”, concluiu.
'EMPENHO E FORÇA'
A lesão quase afastou o jogador dos relvados. O que começou por ser uma entorse no joelho direito passou a uma grave lesão no menisco, que acabou por lhe destruir a cartilagem. Após várias operações e muito trabalho, Mantorras voltou aos golos numa forma surpreendente. António Gaspar foi o fisioterapeuta que acompanhou o jogador na fase mais difícil da lesão. Consciente de que foi uma lesão grave e que a recuperação é lenta, António Gaspar salienta que é possível. “Eu penso que o Pedro vai conseguir recuperar a cem por cento”, adiantou o fisioterapeuta, lembrando a coragem do jogador. “Ele demonstrou sempre um empenho e uma força de vontade muito grandes, e o resultado está à vista”, disse António Gaspar ao CM.
'VÊ-SE QUE ESTÁ FELIZ'
David Pinto Marcel, de 25 anos, é vizinho de Mantorras e adepto do Benfica. Os elogios que faz ao angolano são muitos: “O Pedro é bastante reservado, mas sempre que nos encontramos faz questão de me cumprimentar. Ele e a ‘Nina’ são pessoas impecáveis e simples, e os miúdos são muito giros. São pessoas divertidas, gostam de estar com os amigos e com a família em festa e a ouvir música. O Sr. Luís Filipe Vieira e a D. Vanda ( mulher do presidente do Benfica) é que os trouxeram para cá. Pedro e Vieira têm uma relação de pai e filho. Vê-se que o Pedro está feliz e tem muita coragem. No fundo ele é um menino que só quer jogar à bola”.
LAR SEMPRE ALEGRE
É numa pacata urbanização de Marisol, junto à Charneca da Caparica, que Pedro Mantorras vive com a sua família. Conta quem sabe, que a alegria é uma constante nesta casa. Os dias de festa são marcados por várias visitas.
LÍDER MORA AO LADO
A poucou metros da casa do jogador angolano está a de Luís Filipe Vieira. O líder benfiquista, sempre preocupado com o bem-estar do avançado ‘encarnado’, resolveu mantê-lo por perto para lhe dar o apoio necessário.
'CINCO ESTRELAS'
Paula Oliveira é a proprietária da Churrasqueira Braemar onde ‘Nina’ vai fazer compras. “São os dois muito simples, mas conheço-o menos. A mulher dele vem cá quase todos os dias. É uma pessoa cinco estrelas.”
BENFICA NA PEIXARIA
A D. Paula trabalha na Peixaria Mar e Sol onde a mulher do angolano faz compras. “Ela vem cá, mas ele nunca veio. É uma senhora simples e simpática. Metemo-nos com ela por causa do Benfica e falamos dos jogos.”
'HUMILDES'
Adriano de Oliveira é o dono da Marisqueira Braemar onde o casal já foi. “Ele não costuma vir cá, a mulher é que vem cá mais vezes. São pessoas simples,
humildes e simpáticas, com quem dá gosto falar.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)