Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Ricardo devia sair

Octávio Machado saiu ontem em defesa de Ricardo Carvalho, jogador por si lançado nos tempos em que era técnico do FC Porto e antes da chegada de José Mourinho aos ‘dragões’.
19 de Agosto de 2005 às 00:00
Octávio nos tempos em que treinava Ricardo Carvalho no FC Porto
Octávio nos tempos em que treinava Ricardo Carvalho no FC Porto FOTO: José Moreira/Record
Em declarações ao CM, o treinador refere achar injusta a situação que o defesa-central está a viver e critica a resposta de Mourinho, que colocou em causa o quociente de inteligência (Q.I.) do jogador.
“É injusto o que se está a passar com o Ricardo e ele não merece isto. Acho que devia era sair do Chelsea, pois já não é a primeira vez que lhe acontece isto com o José Mourinho. Além disso, é muito ofensivo um treinador colocar em causa o Q.I. de um atleta. Tratou-se apenas de um desabafo do Ricardo, que se viu confrontado com uma situação que já tinha vivido no passado e que julgava que não voltaria a acontecer”, explicou Octávio, que salienta o carácter de defesa.
“Quem o conhece sabe que o Ricardo é um rapaz pacato, muito humilde e um grande profissional. É o jogador que qualquer treinador quer ter no balneário. Sofreu muito para chegar onde chegou e até ter a sua oportunidade no FC Porto, andou emprestado pelo Alverca, Leça e Setúbal. E quando teve a sua oportunidade no FC Porto, o Mourinho fez o mesmo, retirou-o da equipa. Aí passou um mau bocado e só com muito trabalho e persistência voltou à equipa e esteve nas grandes conquista do FC Porto”. Mas Octávio não se fica por aqui e atira-se a Mourinho. “A vida tem-lhe sorrido e está com o ego em alta. Talvez por isso tenha estas reacções. Tem qualidade, sem dúvida, mas ele quer ser sempre o centro das atenções e deve julgar que o êxito é só fruto do seu trabalho.”
CENTRAL COM VIDA DIFÍCIL EM LONDRES
Independentemente das sanções que o Chelsea lhe possa aplicar – de uma multa não se livra e em Inglaterra fala-se de cerca de 125 mil euros –, parece certo que se avizinham tempos difíceis para Ricardo Carvalho sob o comando técnico de José Mourinho. E se até aqui era a luta pela titularidade e as dificuldades em perceber porque era o português preterido, agora pouco se espantariam se Ricardo Carvalho fosse, por algum tempo, afastado dos relvados. Mourinho tem fama de raramente perdoar, ainda que existam excepções.
O francês Gallas, por exemplo, passou parte da última temporada a reclamar a saída de Stamford Bridge, tudo porque o técnico o adaptava à esquerda da defesa e o central de origem pretendia jogar na sua posição natural. Mas nunca as suas ‘bocas’ tiveram a repercussão interna que envolveu agora Carvalho. Resultado da pressão do francês: Gallas recuperou a titularidade no eixo central e... Ricardo Carvalho perdeu o estatuto de titular.
Só que desta feita, e porque Mourinho priva desde há quatro anos com o central ex-FC Porto, o técnico do Chelsea não estará disposto a perdoar o que considera ser ingratidão, considerando até os vários títulos conquistados pelo jogador sob o seu comando.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)