Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

RICARDO SOUSA ESTEVE EM ALTA

Finalmente o Beira-Mar venceu em casa. Já se sabia que o Santa Clara não seria pêra doce e daí que o técnico aveirense, António Sousa, tivesse tomado cautelas defensivas. No ataque contou com a arte do filho, Ricardo Sousa, a atravessar um momento de forma espantoso.
28 de Outubro de 2002 às 00:16
Juninho Petrolina esteve em foco ao carrilar o jogo para o flanco direito, permitindo que Fary tivesse mais liberdade. O primeiro golo surgiu na sequência de um canto da direita. Jorge Silva com uma defesa incompleta não contou com a oportunidade do senegalês Fary. Quinze minutos depois, o senegalês é carregado à margem das leis e, na cobrança do castigo, Ricardo Sousa voltou a fazer jus à condição de melhor marcador da equipa. A findar a 1.ª parte, o Santa Clara marcou através de João Pedro, numa insistência e após defesa por instinto de Paulo Sérgio.

No reatamento, o Beira-Mar foi mais temerário e aos 75 minutos Fary cabeceou ao poste. Os açorianos não desistiram e quase empataram nos derradeiros minutos.

Pela positiva destacamos a determinação dos jogadores aveirenses em dar a alegria da primeira vitória em casa ao sócios. Ricardo Sousa e Fary foram os mais aplaudidos. Devido à mudança da hora, começou a escurecer mais cedo e Lucílio Baptista mandou acender os holofotes. Porém, e sabe-se lá porquê, demorou mais de um quarto de hora a fazer-se luz. Eis o ponto negativo.

Destaque para a presença de ‘olheiros’ do Estraburgo e Chievo.
Ver comentários