Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

"Rui Costa é mais realista do que eu”

Quique Flores, técnico do Benfica, diz que não há divergências sobre os objectivos desta época, defende campanha encarnada na Liga e descarta reforços em Janeiro.
22 de Dezembro de 2008 às 00:30
'Rui Costa é mais realista do que eu”
'Rui Costa é mais realista do que eu” FOTO: Pedro Ferreira

– Qual será a estratégia para o jogo com o Nacional, sabendo que o FC Porto está mais próximo?

Quique Flores – Temos de mudar rotinas, mas não as da Liga. É importante não fazer confusão. Temos sido regulares na Liga.

– Vai entrar em campo depois do jogo do FC Porto. Isso pode colocar mais pressão sobre os jogadores?

– Não. Temos motivação suficiente para manter o 1º lugar. Queremos ganhar sempre e dar um bom Natal aos adeptos.

– Falou com a equipa após a derrota com o Metalist. Qual foi a reacção dos jogadores às críticas?

– Há uma barreira de idioma, método, hábitos, exigências e rotinas, mas não tenho queixas. Estão a responder com máxima concentração. Somos um só grupo – jogadores e técnicos.

– Precisa de fazer alguns acertos no mercado de Janeiro?

– Mercados de Inverno são complicados. Não acredito muito no mercado de Janeiro. Sou conservador nesse aspecto.

– Rui Costa disse que o objectivo é o título e você só falou no apuramento para a Champions. Há alguma divergência de ambições?

– Não. Ser campeão é algo que nos faria muito felizes, mas estar na Champions é uma melhoria face à época passada. Queremos que a equipa seja mais competitiva, mas vamos esperar. Não se pode mudar tudo em quatro meses.

– Mas acha que é mais realista?

– Não. Rui Costa é mais realista do que eu. Conhece a realidade do grupo por dentro e por fora. A realidade que queremos fomentar é dar o máximo aos adeptos.

– Luís Filipe Vieira alertou para a necessidade do investimento na equipa ser rentabilizado...

– É normal. Digo que nunca devíamos ter perdido com o Leixões e o Metalist, mas perdemos. A sorte muda muito facilmente.

LUÍS FILIPE VIEIRA PEDE PACIÊNCIA E EMPENHO

'Temos sempre de subir o grau de exigência, de reclamar mais empenho, mais trabalho, mas ao mesmo tempo de resistir ao facilitismo de pensar que à primeira dificuldade devemos mudar tudo', disse, ontem, Luís Filipe Vieira, na inauguração da Casa do Benfica, no Entroncamento.

O presidente encarnado salientou a necessidade de 'redobrar esforços e vontades' num cenário de dificuldades. 'O clube vai entrar num ciclo exigente do ponto de vista económico, o que obriga a um enorme esforço', frisou Vieira, acrescentando: 'A conjuntura que vamos enfrentar no curto prazo vai exigir critério nas opções, ponderação nas decisões e, finalmente, vai obrigar-nos a mobilizar todas as nossas capacidades.'

O líder do Benfica concluiu o discurso com um ataque aos opositores: 'Criticam com um único intuito: fazer regressar o clube ao tempo da anarquia e da instabilidade. Esse tempo já lá vai.' n

APONTAMENTOS

LESÃO DE REYES

Reyes falha o Nacional por uma lesão (mialgia na perna direita) 'que não foi sofrida no Benfica'. 'Não é grave', disse.

CONVOCADOS

Moreira, Moretto, Maxi Pereira, Luisão, Sidnei, Miguel Vítor, David Luiz, Jorge Ribeiro, Katsouranis, Yebda, Aimar, Balboa, R. Amorim, Urreta, Binya, Di María, Nuno Gomes, Cardozo e Suazo.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)