Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Rui Silva de bronze

Após o bronze dos Jogos Olímpicos de Atenas (2004), o português Rui Silva voltou ontem a fazer o terceiro lugar, e a consequente medalha de bronze, nos 1500 metros dos Mundiais de Helsínquia, na Finlândia. A prova foi ganha pelo atleta do Bahrain Rashi Ramzi, enquanto Adil Kaouch (Marrocos) conquistou a medalha de prata.
11 de Agosto de 2005 às 00:00
Rui Silva ficou em terceiro lugar mas a medalha de prata escapou por muito pouco
Rui Silva ficou em terceiro lugar mas a medalha de prata escapou por muito pouco FOTO: Michael Dalder/Reuters
Como é seu hábito, Rui Silva, logo desde o início da prova, preferiu controlar a corrida desde o fim do ‘pelotão’. E só quando o americano Alan Webb atacou, a uma volta do fim, é que o atleta português se juntou aos seus adversários mais rápidos. É que até aqui, a prova estava num ritmo lento imposto pelos atletas espanhóis, mas o norte-americano esticou o andamento e partiu o pelotão. No entanto, não aguentou depois o ritmo.
A 400 metros do fim, Rui Silva ainda tropeçou no queniano Kipchirchir, mas mesmo assim não se atrasou. A corrida ficou depois limitada a quatro, Rui Silva acabou, a 50 metros do fim, por ultrapassar o ucraniano Ivan Heshko e cortou a meta mesmo lado a lado com o marroquino Adil Kaouch – uma diferença de dois centésimos de segundos.
Com esta vitória de Rui Silva, Portugal soma agora duas medalhas de bronze nos Mundiais de atletismo, depois de Susana Feitor ter conquistado, no passado sábado, o terceiro lugar nos 20 quilómetros marcha. Recorde-se que Obikwelu não foi além do quarto lugar na final dos cem metros.
No final da prova do 1500 m quem, evidentemente, estava satisfeito com o triunfo era o o vencedor Rashi Ramzs. “Estou muito contente com esta vitória, pela qual lutei desde que cheguei a Helsínquia. A corrida foi bastante difícil, principalmente pelas condições atmosféricas, pelo que a vitória foi ainda mais saborosa”, referiu o atleta do Bahrain.
JESSICA AUGUSTO ELIMINADA
Entretanto, e à semelhança do que aconteceu com Nélson Évora no triplo salto, a portuguesa Jessica Augusto também falhou ontem o acesso à final dos 5000 metros, não tendo conseguido mais que a 15.ª e última posição da eliminatória em que participou.
Numa série em que se apuravam as oito primeiras classificadas, Jessica Augusto acabou por ficar muito aquém do seu melhor registo este ano, registando 16.23,66 minutos, numa prova vitoriosa para a etíope Tirunesh Dibaba, com 14.50,98.
Ver comentários