Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Rui Vitória aceita assobios na Luz

Técnico do Benfica diz que a frustração dos adeptos é a mesma que a da equipa com os resultados.
Mário Figueiredo 8 de Novembro de 2018 às 01:30
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória e Luís Filipe Vieira
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória e Luís Filipe Vieira
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória
Rui Vitória e Luís Filipe Vieira
Rui Vitória disse esta quarta-feira "compreender" os lenços brancos, os assobios e a "frustração" dos adeptos do Benfica depois do empate com o Ajax (1-1) no Estádio da Luz, resultado que compromete o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões.

O treinador do Benfica não fugiu às críticas e à contestação. "Não entro por aí. Não é a minha forma de pensar. O importante é o Benfica. Compreendo as frustração dos adeptos. São reações mais emotivas do que racionais. A frustração deles é a mesma que a nossa. Aceito, mas não retiro conclusões", disse Rui Vitória na conferência de imprensa.

Para o técnico é necessário abordar esta situação de forma racional. "A mensagem prática é que ninguém se vai lembrar do minuto 92 em Amesterdão [quando Mazraoui fez o golo que ditou o triunfo dos holandeses] e o minuto 95 quando falhámos a oportunidade de fazer o golo da vitória. Eles tiveram a sorte que nós não tivemos", desabafou.

Vitória não esconde o desagrado pelos quatro jogos consecutivos sem ganhar (Ajax, Belenenses, Moreirense e de novo Ajax): "Não é normal nem natural. Contudo não podemos analisar só os resultados. O que sinto é uma entrega muito grande dos jogadores do Benfica".

Sobre a partida, Vitória falou num "jogo repartido" tal como tinha acontecido em Amesterdão. "Na segunda parte, eles tiveram mais bola e deram mais profundidade ao seu jogo, mas mesmo assim tivemos boas oportunidades de finalização. O último lance do jogo (defesa de Onana a remate de Gabriel) podia tornar isto numa história diferente".

O técnico não poupou elogios aos jogadores do Benfica. "Preparámos com grande profissionalismo. Foram homens de coragem, determinados e rigorosos. Uma coisa é o resultado e outra é a exibição", concluiu.

Despedimento do treinador custa 3,3 milhões
Luís Filipe Vieira teria de pagar 3,3 milhões de euros a Rui Vitória para o despedir, apurou o Correio da Manhã.

O treinador do Benfica teria direito a receber a totalidade dos salários até ao final do contrato. Assim, Vieira teria de pagar os 21 meses que faltam até ao final da época de 2019/20. Rui Vitória aufere um rendimento na ordem dos 167 mil euros por mês na Luz. Há ainda a questão dos prémios que tem por objetivos, que teriam de ser revistos.

A juntar a esta verba estariam também os custos da contratação de um novo treinador. Tem-se falado em Jorge Jesus que auferia, no Sporting, um ordenado anual de sete milhões de euros brutos.

Verba bem inferior ao atual contrato com o Al Hilal, que é de meio milhão de euros líquidos por mês. Também era necessário mudar a equipa técnica, tendo de indemnizar igualmente todos os adjuntos de Rui Vitória que têm contrato até 2020.

Confusão na bancada com adeptos do Ajax
Os adeptos do Ajax envolveram-se em confrontos com a polícia, minutos antes do início da partida. Os agentes da autoridade foram forçados a intervir para colocar ordem no setor onde estavam cerca de três mil adeptos do clube holandês.

Após o jogo, quatro adeptos do Ajax foram assistidos no Hospital Santa Maria.

PORMENORES 
Saldo de Rui Vitória
Rui Vitória realizou ontem o seu décimo jogo na Liga dos Campeões (excluindo fases pré-eliminatórias) e tem agora um registo de oito derrotas, um empate e somente uma vitória (conseguida frente ao AEK em Atenas, já nesta edição da competição). Todos estes jogos pelo Benfica.

Série muito negativa
Nos últimos onze jogos da Liga dos Campeões a equipa do Benfica apenas ganhou um jogo - o acima referido, frente ao AEK. O primeiro desta série negra foi na época 2016/17 frente ao Borussia Dortmund (0-4).

Jonas volta a marcar
Jonas colocou ontem um ponto final numa ‘seca’ de mais de 32 meses sem marcar qualquer golo na Liga dos Campeões. O último jogo em que havia marcado foi em fevereiro de 2016, frente ao Zenit São Petersburgo, num jogo em que o Benfica venceu por 1-0.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)