Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Safin assina pelo Benfica

Em 2004, momentos antes do início do Europeu em Portugal, Marat Safin recebeu no Estoril Open uma camisola da selecção nacional com o seu nome. Dois anos volvidos, curiosamente, um dos jogadores que ‘roubou’ o título a Portugal na final da Luz presenteou o tenista russo, no mesmo local, com uma outra camisola: não da Grécia, mas sim do Benfica.
3 de Maio de 2006 às 00:00
O helénico Karagounis, o italiano Miccoli e Petit, presentes ontem no Estoril Open, tiveram ontem a oportunidade de entregar ao ‘gigante’ russo, um verdadeiro apreciador de futebol, um ‘jersey’ do clube ‘encarnado’. Só que um dos intervenientes não esteve à altura do acontecimento... literalmente.
Ou melhor, até esteve, mas para tal teve de recorrer à ajuda de uma cadeira. É que foi o próprio avançado transalpino, nos seus ‘curtos’ 1,68 metros, que recorreu a tal utensílio para se equiparar aos 1,93 do tenista russo. Só assim foi possível tirar a habitual fotografia de grupo.
Pouco habituados a terem de esperar, o trio do Benfica esperou e desesperou, antes desta informal cerimónia, por Safin, que estava a dar uma entrevista televisiva. Miccoli mostrava-se algo impaciente, apesar dos sorrisos. “Tenho de ficar aqui à espera para entregar uma camisola? Quem devia estar aqui era o Karyaka. Ele é que é russo.” É que, ainda por cima, Safin eliminou um compatriota de Miccoli: Fognini, por 6-1 e 6-4. Ainda assim, o italiano levou as coisas na brincadeira, já que simulou diversas entrevistas com Petit. “Este é o nosso novo reforço, que assinou por mais três anos”, disse, fazendo soltar umas gargalhadas. Karagounis, mais reservado, optou pelo silêncio, desviando-se da confusão. Após cerca de dez minutos de espera, Safin foi então presenteado com a camisola do Benfica, saindo rapidamente, já que ainda foi disputar um encontro de pares ao final do dia.
SAFIN APROVADO
Tal como para o Benfica, esta é uma semana de tensão para o tenista russo. Os ‘encarnados’ vão lutar por um lugar na ‘Champions’, já Safin vai tentar chegar ao seu primeiro título no Estoril Open. Foi precisamente em Portugal que o russo venceu os seus primeiros títulos, no distante ano de 1997, nos Açores e Espinho, mas, quase dez anos depois, e sendo agora um dos melhores do Mundo, ainda não conseguiu inscrever o seu nome na lista de campeões do Jamor. O melhor que conseguiu foi ser finalista em 2004.
GRANDES APROVADOS
É habitual, na 1.ª ronda, um ‘grande cair’. Para gáudio da organização, tal não aconteceu este ano. Nalbandian, campeão em 2002 e 1.ª cabeça de série, ainda assustou, depois de ter enfrentado dificuldades frente ao francês Mahut, a quem venceu por duplo 7-5. Safin não teve dificuldades em superar Fognini (6-1 e 6-4) e Moya, que recebeu um convite de João Lagos, bateu o brasileiro Saretta, por 6-3 e 6-4. Nas senhoras, Dulko (2.ª) bateu a chinesa Zi, por duplo 6-4. Entre os portugueses, apenas Gil ‘sobreviveu’. Venceu Luque, por 1-6, 7-6 (5) e 6-4, enquanto Elias, de Lattre e Piedade caíram perante Tursunov, Lino e Loit, respectivamente.
A FIGURA
Frederico Gil está no Estoril Open após vencer o Troféu RTP. Agora, na 1.ª ronda, ‘despachou’ o espanhol Luque. Está de parabéns
BREVES
QUEIXAS DE MARAT SAFIN
Por várias vezes, Safin foi ver marcas duvidosas no jogo com Fognini. E até se irritou com um fotógrafo que se mexeu durante um ponto.
AFLUÊNCIA NO CENTRALITO
O Centralito tem sido dos ‘courts’ mais requisitados pelos espectadores para ver jogos dos portugueses e... aproveitar a sombra.
VELOCIDADE DOS SERVIÇOS
Dos 8 aos 80 anos, todos querem saber a velocidade do seu serviço. Tem sido um dos ‘stands’ mais requisitados no Jamor.
COMIDA A PREÇOS ALTOS
A comida no prato é proibitiva para grande parte das carteiras. A solução mais barata prende-se, mais uma vez, com a ‘fast food’.
NÚMERO DO DIA
4250000
As excelentes condições atmosféricas por alturas do Estoril Open sempre trouxeram até ao Complexo do Jamor milhares de espectadores. O espectáculo ganha com isso... assim como a organização da maior prova de ténis a nível nacional. É que, nas 16 edições já realizadas, as receitas de bilheteira foram na ordem dos 4250 milhões de euros. E este ano vai ‘engordar’ mais.
DUQUER RAFAEL MEDINA PASSOU DESPERCEBIDO
Rafael Medina, filho mais velho do falecido duque de Feria [Rafael Medina y Fernández de Córdoba], passou de ‘fininho’ entre os convidados que, ontem, João Lagos, teve no Estoril Open. O galã espanhol não trouxe a namorada Karolina Kurkova, a modelo checa conhecida internacionalmente.
O jovem duque chegou por volta da hora do almoço, visitou os vários ‘stands’ do espaço VIP e foi almoçar. Sem que ninguém se apercebesse da sua presença, Rafael saiu do almoço e foi dar uma ‘espreitadela’ ao ‘court’ central onde o seu conterrâneo Carlos Moya jogava contra o brasileiro Saretta.
Contudo, não se demorou, pois teve de apanhar um avião para casa ao fim da tarde.
Muito discreto e desconfiado, Rafael não deu nas vistas e nem sequer veio acompanhado da namorada, a ‘top model’ checa Karolina Kurkova, com quem está envolvido desde Setembro do ano passado.
A paixão entre Rafael Medina e Katarina Kurkova deu brado na Imprensa cor-de-rosa espanhola.
É que, por amor a Karina, o duque rompeu o seu longo noivado com a modelo espanhola Laura Vecino que ficou muito abalada com a separação.
O mesmo aconteceu a Kurkova que, por paixão, também rompeu o noivado com Alessandro Bazzoni, o homem que a descobriu no seu país natal e a introduziu no mundo da moda.
Rafael Medina é considerado um dos mais atraentes jovens da nobreza espanhola e destaca-se sempre por ser alguém que zela pela privacidade e discrição da sua vida pessoal.
As suas amizades mediáticas e a protecção que a mãe, Nati Abascal – ex-mulher de Rafael Medina y Fernández de Córdoba, com quem tem os filhos Rafael e Luís – permitiram-lhe um lugar de destaque nos media cor-de-rosa do país de “nuestros hermanos”.
VISITA ESPECIAL
João Lagos recebeu o presidente do município alfacinha, Carmona Rodrigues, que disse ser um fã de ténis: “Já joguei mais, mas agora nem por isso. Mas aprecio um bom jogo”, revelou Carmona elegendo Moya como o seu “preferido”.
BELEZA
Belas mulheres como a modelo e apresentadora Helena Coelho ficam sempre bem em eventos desportivos, mesmo quando não jogam ténis. “Prefiro assistir a uma partida do que jogar”, disse a modelo no ‘stand’ Coca-Cola Light.
CONVIDADOS
O Correio da Manhã convidou o ex-futebolista Humberto Coelho, o judoca João Monteiro e o maratonista Luís Jesus para estarem presentes no Jamor. Estes almoçaram e conversaram sobre variados temas da actualidade com António Tadeia, chefe de redacção do CM.
CÚMPLICES
Os ex-futebolistas e cúmplices de equipa Humberto Coelho e Toni fizeram uma verdadeira festa quando se encontraram no ‘stand’ do Correio da Manhã. Estão ambos em forma e fizeram questão de o afirmar: “Somos ‘habituées’ do Estoril Open. Gostamos de ténis e vamos voltar”, repetiram.
PROGRAMA DESTA QUARTA-FEIRA
‘COURT’ CENTRAL (11h00)
Flavia Penetta (ITA) – Maret Ani (EST)
Não antes das 14h00
Gael Monfils (FRA – Albert Portas (ESP)
Não antes das 16h00
Marat Safin (RUS) – Nikolay Davydenko (RUS)
CENTRALITO ( A PARTIR DAS 11h00)
Eleni Daniilidou (GRE) – Mariana Oliva (ARG)
Paolo Suarez (ARG) – Gisela Dulko (ARG)
Justin Gimelstob (EUA) - Nicolas Massu (CHI)
Marques/Tavares (POR) - Gimelstob/Portas
‘COURT’ 1 (12h00)
Gil/Nicau (POR) – Dlouhy/Vizner (CHE).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)