Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

SCOLARI: VAMOS ESTAR NA FINAL

Luiz Felipe Scolari mostrou ontem, em entrevista à Reuters, grande confiança em relação ao Campeonato da Europa de 2004. O seleccionador nacional chegou mesmo a referir que a turma das quinas vai estar “estar na final do Europeu”.
28 de Dezembro de 2002 às 00:00
Para tal, ‘Felipão’, que começa a trabalhar já em Janeiro, está disposto a implementar o mesmo espírito vencedor do ‘escrete’ canarinho, que ‘arrecadou’ o título Mundial em 2002.

“Estou bastante confiante em relação ao trabalho que iremos colocar em prática. Penso que há ainda algumas coisas que necessitam de melhoramento mas, tudo vai correr bem. Tenho a certeza que em 2004 vamos estar na final do Campeonato da Europa. Só é necessário muito trabalho tal como aconteceu com o Brasil”, afirmou o técnico brasileiro.

O técnico sul-americano insiste que a fórmula para vencer o Euro’2004 é o trabalho. Como tal, os jogadores influentes só terão lugar no ’onze’ se mostrarem empenho a cem por cento.

“Todos os jogadores da geração de 90 que ainda estão em actividade, e que são chamados à selecção, deverão ajudar os mais jovens, de maneira a se construir uma boa selecção, sem estrelas ou protagonistas. Só assim é que se poderá criar um grupo forte e uma boa atmosfera dentro do balneário. A selecção nacional deverá ser a continuidade do trabalho feito ao nível dos clubes. Os jogadores são escolhidos mediante o trabalho que realizam nas suas formações”, referiu Scolari.

Em relação à fase de qualificação para o Euro’2004, da qual Portugal está livre por ser o país organizador da prova, Scolari deixou um aviso. “Cuidado com as equipas teoricamente mais fracas. Muita coisa ainda pode acontecer. As equipas ‘grandes’ estão com alguns problemas face às outras formações. Assim, acredito que poderá haver três ou quatro surpresas”, ressalvou.

‘Felipão’ recusou-se a nomear favoritos para o Euro’2004, afirmando que todas as selecções apuradas terão uma oportunidade. Contudo, o treinador vê na Turquia (jogou duas vezes contra os turcos no Mundial) um adversário bastante complicado: “A Turquia está na frente. Mantêm a mesma consistência do Mundial e estão à frente da Inglaterra no Grupo. São muito fortes”.

FAZ FALTA A COMPETIÇÃO

Como equipa anfitriã do Europeu, a selecção nacional não joga os jogos de apuramento e Scolari reconhece que este é um problema para Portugal, pois faltam os jogos competitivos. “Esse aspecto é mau. Faz falta a competição, faz falta saber a reacção da equipa perante situações complicadas”, afirmou Scolari. Para compensar esta situação Portugal vai defrontar selecções de nomeada como a Itália, o Brasil e a Holanda. “Estes jogos são essenciais. Contra estas equipas poderemos ver o nosso espírito competitivo”, disse.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)