Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

“Sentimos uma alegria surreal”

Pelo segundo ano consecutivo, o Clube Desportivo Pinhalnovense, actual 4º classificado da II Divisão Zona Sul, atinge os quartos-de-final da Taça de Portugal – no ano passado o clube da Margem Sul do Tejo foi afastado pela Naval (1-3).
14 de Dezembro de 2010 às 00:30
O médio Quinaz, de 25 anos, marcou o golo que permitiu a decisão nas grandes penalidades
O médio Quinaz, de 25 anos, marcou o golo que permitiu a decisão nas grandes penalidades FOTO: direitos reservados

Depois de eliminar o Leixões nas grandes penalidades (1-1 no tempo regulamentar e 5-4 nos penáltis), os responsáveis do clube não escondem o desejo de defrontar Benfica ou FC Porto na próxima eliminatória, embora nem todos afinem pelo mesmo diapasão.

O médio Quinaz, autor do único golo pinhalnovense apontado nos 120 minutos, sonha com o Jamor e lembra que quanto mais tarde águias ou dragões se cruzarem no caminho da sua equipa melhor. "Prefiro uma equipa mais acessível para termos mais possibilidades de seguir em frente. Entretanto, pode ser que alguém elimine o Benfica e o FC Porto".

Quinaz, de 25 anos, não hesita em apontar o momento vivido em Matosinhos como o ponto alto de uma carreira que começou no Odivelas. "Não é todos os dias que o nosso clube é tomba-gigantes. Custou-me muito a adormecer. Sentimos todos uma alegria surreal", confessa, garantindo que pretende ir mais longe. "O meu sonho é conseguir chegar à I Liga. A partir daí, com maior visibilidade, quem sabe não poderei chegar a um dos três grandes".

O extremo, que leva já cinco golos na presente edição da Taça e é o rei das assistências do emblema do Pinhal Novo, convive diariamente com a exigência do filho, de seis anos, que quer que o progenitor siga os seus passos. "O Martim joga nas escolinhas do Benfica e quer que me esforce mais para poder um dia chegar ao clube onde ele já está", explica a sorrir.

Tal como Quinaz, Martim é esquerdino e vibrou com o feito do clube do pai. "Por norma, exige sempre que faça três golos por jogo. Quando isso não acontece – ou seja, quase sempre – diz que não estive bem e que tenho de fazer muito mais", recorda o habitual marcador de bola paradas.

PAULO FONSECA QUER "BENFICA OU FC PORTO"

Depois de na época anterior o Pinhalnovense ter caído na competição nos quartos-de-final com a Naval (1-3), comandada na altura por Augusto Inácio, desta vez coube a Paulo Fonseca, timoneiro do conjunto do Pinhal Novo, a felicidade de vencer a equipa do antigo mestre no Marítimo. "A sensação seria sempre extraordinária independentemente de quem estivesse a treinar o adversário", assegura.

O técnico, de 37 anos, não hesita na hora de apontar o adversário pretendido para a próxima fase: "Benfica ou FC Porto. Por três razões: pela vertente financeira, pela notoriedade que daria ao clube e, mais importante, permitir aos jogadores mostrarem-se de modo a provar que têm qualidade para outros patamares." Paulo Fonseca lamenta a sobrecarga de jogos: "A federação já não devia contar com clubes da II Divisão nesta fase. Estamos a jogar para o campeonato às quartas-feiras. Numa semana jogamos três vezes." 

PRESIDENTE "ORGULHOSO"

Após ter eliminado o Leixões, Amândio Dias, presidente do Pinhalnovense há quase quatro anos, confessa-se orgulhoso do grupo de trabalho. O dirigente vê na competição, à semelhança do que aconteceu em anos anteriores, a possibilidade de o clube fazer um encaixe financeiro significativo. "Sou sportinguista e gostava que fosse o Sporting. Como não pode ser, que venha o Benfica", disse, revelando que o V. Setúbal também seria bom por se tratar do outro clube do distrito ainda em prova.

PINHALNOVENSE TAÇA DE PORTUGAL QUINAZ BENFICA FC PORTO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)