Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Simão e Moreira garantem liderança

O Benfica venceu ontem com alguma felicidade o Estoril por 2-1. Depois de terem estado em desvantagem, os ‘encarnados’ reagiram ainda no primeiro tempo e chegaram à vitória na sequência de uma grande penalidade inexistente.
7 de Dezembro de 2004 às 00:00
Num encontro difícil, em que jogaram grande parte do jogo com dez jogadores, os benfiquistas mostraram uma capacidade de sacrifício que faltou noutros jogos, mas que foi premiada com o condão da sorte e ajudou, em parte, a superar a pressão de vencer. O triunfo não apaga, no entanto, a insegurança e a inconsistência da equipa.
Aliás, ontem, mais do que a vitória, outro desafio colocava-se ao Benfica. Perante novo desaire do FC Porto, era importante saber se os jogadores conseguiriam lidar com a pressão de ter de vencer e, desta forma, alcançar os ‘dragões’ na liderança da SuperLiga. As estatísticas já mostravam que na Luz os ‘canarinhos’ costumam ser um adversário difícil – três empates e uma derrota – e a forma como os benfiquistas surgiram em campo só confirmou que não iria ser uma noite fácil.
Mais uma vez, a equipa voltou a mostrar insegurança, alguma desconcentração, jogando sem alma nem coração. Juntou-se o azar com um golo sofrido logo aos quatro minutos e a lesão de Luisão (18’). Num momento de inspiração, Simão (33’) fez o empate, mas Manuel Fernandes, até então o melhor benfiquista, foi expulso três minutos depois, num exagero do árbitro. Uma exibição descolorida e sem garra fazia ecoar das bancadas fortes assobiadelas.
À beira do intervalo, o árbitro voltou a estar em evidência ao assinalar uma grande penalidade a favor do Benfica, por uma falta inexistente sobre Karadas. Simão aproveitou e voltou a marcar, descansando um pouco mais os adeptos. Mas a insegurança na equipa, a falta de soluções e inspiração eram ainda evidentes. E faltavam ainda 45 minutos.
Foi no segundo tempo, a jogar com dez elementos, que o Benfica arregaçou as mangas e jogou como equipa, mostrando garra e capacidade sacrifício. Nesta fase, a formação da Luz tremeu menos que no primeiro tempo, pelo menos durante algum tempo. Aos 62 minutos, o Estoril podia ter empatado, mas a sorte protegeu os benfiquistas, com Amoreirinha a cortar uma bola na pequena área que seguia para Yuri. A partir daqui, começou novamente a intranquilidade ‘encarnada’, que não foi bem aproveitada pelos estorilistas.
TRAPATONNI ELOGIA JOGADORES POR UM JOGO DE DESGASTE
Trapattoni classificou a partida de ontem como “um jogo duro”. E justificou: “O Estoril marcou um golo muito cedo. Mais tarde jogámos dez contra onze, o que representou um grande desgaste, física e psicologicamente. Mas tenho de dar os parabéns aos meus jogadores, que lutaram muito e merecerem ganhar”. O técnico justificou o pequeno incidente na substituição (que não chegou a haver) de Karadas como tendo sido um “engano a escrever”. Sobre as lesões sucessivas e castigos que afectam a equipa, ‘Trap’ minimizou o seu impacto e regozijou-se por Petit estar de volta no próximo jogo. E terminou defendendo Argel dos assobios: “Esteve muito bem”.
Na sala de Imprensa, o técnico italiano mostrou algum nervosismo e chegou mesmo a exaltar-se com perguntas sobre a fraca exibição da equipa neste e noutros jogos. O técnico questionou ainda o porquê do Benfica não ser campeão há 15 anos: “A culpa é minha, do Camacho e dos outros treinadores? Ou é da falta de meios e qualidade?”.
ECOS DA LUX
GUARDIÃO QUIM SOFRE CERVICALGIA
É a primeira vez esta época que Quim ficou de fora da lista de convocados. Esta situação criou inicialmente alguma surpresa, até porque não houve qualquer explicação, mas ontem surgiu a informação no ‘site’ do Benfica de que o guarda-redes tem um problema físico. Quim sofre de uma cervicalgia e por isso não fez parte da lista de convocados.
VARANDAS MANTÉM.SE EM SANTOS
O empresário José Varandas, mandatado pelo Benfica para tratar da transferência de Robinho, continua no Brasil e voltou a manifestar que se encontra em Santos “apenas na qualidade de agente de jogadores” e não a representar qualquer clube em alguma negociação. Negando estar a negociar a contratação de Robinho, Varandas acrescentou: “Sempre respeitei e continuarei a respeitar a posição do Santos e do atleta Robinho em torno dos factos que tanto afectam o jogador”.
ASSOBIOS TROCAM SUBSTITUIÇÕES?
Estavam passados 72 minutos, Trapattoni decide-se por fazer uma substituição. Ao mesmo tempo as câmaras da Sport TV mostram o papel do quarto árbitro com os números a trocar, o 22 pelo 14, ou seja, Karadas por Fyssas. Os adeptos assobiam e ‘Trap’ volta atrás e tira Zahovic. Resta saber se o técnico cedeu aos adeptos ou se ‘Za’ pediu para sair.
FICHA DE jOGO
Local: Estádio da Luz
Árbitro: Paulo Pereira
Benfica: Moreira, João Pereira, Luisão, Argel, Dos Santos, Bruno Aguiar, Manuel Fernandes, Geovanni, Zahovic, Simão Sabrosa, Karadas
Estoril: Jorge, Rui Duarte, Buba, Dorival, João Pedro, Pinheiro, Paulo Sousa, N'Doye, Torres, Fellahi, João Paulo
Acção Disciplinar :Amarelos: Zahovic (13’), N’Doye (41’), Dorival (43’), João Pedro (58’), Simão Sabrosa (75’), Paulo Sousa (80’), Moreira (81’) e João Pereira (90’) Vermelhos: Manuel Fernandes (36’)
Marcadores: João Paulo (5m), Simão Sabrosa (34m) (45m)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)