Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Sinais de esperança

Golos portugueses do Benfica e um goleador para a selecção nacional restauram a fé no jogador nacional.
3 de Novembro de 2012 às 15:00
Éder melhorou sobremaneira em Braga o índice de eficácia que era abaixo da Académica
Éder melhorou sobremaneira em Braga o índice de eficácia que era abaixo da Académica FOTO: Homem de Gouveia/Lusa

O começo de carreira de Éder em Braga ultrapassa as melhores expectativas. O Benfica teve dois jogadores portugueses a marcar golos no mesmo jogo da Liga pela primeira vez em quatro anos. Os golos de autores nacionais na Liga estão em maioria pela primeira vez em mais de 15 anos.

São de esperança os sinais de retoma dos futebolistas nacionais num cenário que parecia irremediavelmente sob ocupação estrangeira. A capacidade de decisão parece em vias de voltar para jogadores da casa, com o caso particular do Benfica a suscitar a maior curiosidade, após a maior sequência de sempre sem um único golo de autoria nacional, que se seguiu às saídas de Nuno Gomes, Simão Sabrosa e Rui Costa.

 

Quando Jorge Jesus explica com realismo a impossibilidade de o clube manter nas fileiras os melhores jogadores, sejam portugueses ou estrangeiros, a emergência dos jovens valores trabalhados na equipa B promete mudar em breve a fisionomia excessivamente estrangeirada que a equipa adquiriu nos últimos cinco anos.

 

Aliás, o Benfica até aparece, subitamente, mais adiantado do que os seus dois rivais neste regresso às origens. O FC Porto não produz um avançado português desde Hélder Postiga e o Sporting regista agora a série em curso mais longa, com um único golo nacional (Daniel Carriço) em dois campeonatos.

 

Bem diferente destes recuos e tímidos avanços no seio dos grandes é a enorme convicção da aposta do Sporting de Braga nos valores internos, com muitos portugueses no centro das atenções a par de alguns estrangeiros com anos de experiência do nosso campeonato.

 

Éder, um naturalizado, é a última descoberta dos bracarenses, após um demorado percurso de formação na Académica. Chega a Braga no momento exacto do arranque para a melhor fase da carreira, batendo à porta da titularidade da selecção. Mais do que um sinal, o momento de Éder pode ser o da explosão de um grande avançado que Portugal esperava desde a retirada de Pauleta.


O LEGADO DE SIMÃO E NUNO

O rendimento da dupla Simão Sabrosa e Nuno Gomes mantém o Benfica à frente dos rivais no número de golos marcados por portugueses neste século.

GOLOS PORTUGUESES NO SÉCULO XXI

Benfica           254

FC Porto         249

Sporting         207

A EVOLUÇÃO DE ÉDER

 

Espantoso! Em apenas cinco jornadas com a camisola do Sporting de Braga, Éder apontou seis golos, superando já o melhor rendimento alcançado ao serviço da Académica. A evolução do novo internacional português só não surpreende os olheiros minhotos.

CARREIRA EM TRÊS TOQUES

 

Os primeiros cinco golos de Éder na Liga foram marcados de cabeça. Depois seguiram-se oito de pé direito. E agora, m Braga, está numa série inédita de golos com o pé esquerdo. Acidental ou não, esta sequência invulgar demonstra uma evolução técnica que também traduz o aumento do raio de alcance e um maior conforto técnico no trato da bola. Passou de um jogador de área com elevado poder físico, para um avançado mais móvel, com qualidade técnica e discernimento táctico e no serviço aos colegas de ataque.

UMA LIGA DIFERENTE

Pela primeira vez em muitos anos, os goleadores portugueses estão em maioria na Liga portuguesa e os brasileiros foram ultrapassados por estrangeiros de outras origens. Dos 157 marcados até agora, 42% couberam a portugueses e apenas 20% a brasileiros. Ao longo das últimas duas décadas, os golos com origem no Brasil eram maioritários, mas o alargamento das fontes de recrutamento alteraram este cenário, aparecendo agora um colombiano (Martinez), um franco-argelino (Ghilas) e um paraguaio (Cardozo) nas primeiras posições, a par de Éder, português nascido na Guiné-Bissau. Na época passada, os brasileiros ainda foram a segunda força goleadora (33%), à frente dos portugueses (26%), embora já atrás dos outros estrangeiros (41%).


ANDRÉ GOMES ACENDE A LUZ

 

A impressionante estreia de André Gomes, inesperada revelação de Jorge Jesus, brilhou como um flash na imagem sombria que se foi adensando ao longo de 42 jornadas consecutivas sem qualquer golo «made in Portugal» e nenhuma perspectiva de inversão dessa tendência, sobretudo após a estranha dispensa de Nélson Oliveira.

O ÚLTIMO GOLO DA ACADEMIA

Já fez um ano o último golo de um português do Sporting, apontado por Daniel Carriço na 8.ª jornada da época passada, alias o único em toda a temporada.

 

SPORTING A PERDER A IDENTIDADE

 

Com a viragem para a importação de jogadores em detrimento da promoção de valores da Academia, o Sporting seguiu as pisadas do Benfica e já completou 29 jornadas sem qualquer golo de um português, não dando para já sinais de poder vir a recuperar essa matriz a breve prazo, uma vez que o guarda-redes é agora o único titular nacional.

éder golos portugueses sp. braga benfica futebol
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)