Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Sporting de Bento na segunda parte

Um empate sem golos na apresentação aos sócios perante um Inter fortíssimo foi o que o Sporting pôde arranjar. Apesar de tudo, o segundo tempo deu boas indicações de uma equipa de futuro como é a do Sporting.
22 de Agosto de 2006 às 00:00
O Sporting teve muitas dificuldades na primeira parte, nunca conseguindo segurar o jogo. Foi bem melhor na segunda só com jogadores da época passada (saíram ao intervalo Bueno e Paredes, entraram Nani e Deivid) e também porque aos 63’ foi expulso Materazzi por segundo amarelo. A solução do meio-campo na primeira parte com ‘duplo trinco’ (Custódio-Paredes) não ficou aprovada, sobretudo porque Paredes é um jogador mais de destruição e pouco de construção.
A primeira parte foi do Inter, que nunca deixou o Sporting fazer posse de bola para preparar o jogo, pelo que a equipa de Paulo Bento nunca conseguiu jogar na área adversária. Depois de um completo desconcerto inicial, o Sporting teve duas boas oportunidades para marcar à meia hora (remate de Carlos Martins de fora da área às malhas laterais e cabeceamento de Tonel que saiu perto do alvo), mas o Inter teve Maicon isolado, teve um desvio de Crespo ao poste, teve cruzamentos perigosos. O Inter, campeão na secretaria, parece ter agora realmente uma equipa campeã.
A onze contra dez a coisa ficou mais nivelada e na segunda parte, com Nani a criar dificuldades, o Sporting conseguiu instalar-se no meio-campo adversário – o Inter está mais longe do seu campeonato – e assim ter situações de golo. Polga de cabeça ao lado, Nani a obrigar Júlio César a grande defesa, Romagnoli a conseguir rematar na área. Foi outro jogo, mais aberto e o Recoba ainda teve um livre à barra. O Sporting aguentou o zero-zero, apesar de tudo um bom resultado mesmo considerando que meia hora contra dez tem de ser mais bem aproveitada.
Bruno Paixão – e é uma notícia – esteve bem na maior parte do jogo, incluindo o vermelho a Materazzi. Houve no fim um desentendimento com o assistente a propósito de um penálti (inexistente) de Polga sobre Adriano, mas tudo acabou bem.
POSITIVO: MARTINS E NANIZ
Na primeira parte só Carlos Martins esteve à altura da Liga dos Campeões, com Liedson aqui e ali (mas não é preciso protestar tanto num amigável). Depois do intervalo, com jogadores só da época passada, com um 4x4x2 mais elástico porque o meio-campo era mais ofensivo, o Sporting teve o melhor período, com Nani (embora inconstante) e João Moutinho a comandarem o jogo. É justo destacar este Inter, que está muito mais forte e mesmo com dez na meia hora final esteve perto do golo mais do que uma vez.
NEGATIVO: BUENO E PAREDES
O pior do Sporting foi a primeira parte e foram claras as dificuldades de Bueno ao lado de Liedson – se era exame, reprovou claramente – e também da solução de ‘duplo trinco’ Custódio-Paredes, que foi sempre ultrapassado. Como, atrás deles, Polga e Tonel também não seguravam as pontas, o Sporting sofreu muito nessa altura. E sem estrutura defensiva segura, este Sporting não tem possibilidades, porque é uma equipa de tracção atrás. Mas Inter de Milão, diga-se, só há na Liga dos Campeões...
"ACEITA-SE O RESULTADO"
O treinador do Sporting, Paulo Bento, que termina a pré-época sem derrotas, considerou o resultado justo, lamentando, no entanto, que a partida com o Inter tenha terminado sem golos: “Estivemos globalmente fortes mas não entrámos bem na primeira parte. O Inter partiu com facilidade para o ataque por não termos sido agressivos o suficiente. No segundo tempo estivemos mais próximos da imagem que temos apresentado nesta fase. Aceita-se o resultado, mas devia ter havido golos.” Já Marco Caneira considerou “resultado e jogo bastante importantes para moralizar e dar confiança à equipa”. Por fim, Ricardo recusou comentar as últimas palavras de Vítor Baía, que lhe chamou “menino mimado”.
SEM PERDER NA PRÉ-ÉPOCA
Concluída a pré-temporada, as atenções do Sporting viram-se já para a estreia na Liga, este sábado, frente ao Boavista. Os ‘leões’ entram no campeonato nacional depois de uma pré-época muito positiva em que conseguiram conquistar as vitórias nos torneios do Guadiana – contra Benfica e Deportivo da Corunha – e no Columbino – os adversários foram Sevilha e Recreativo de Huelva. O saldo final é de 5 vitórias, 2 empate e 0 derrotas, com 18 golos marcados e 4 sofridos.
22/07- Sporting-Real S. Clube, 6-1
27/07- Sporting-Benfica, 3-0
29/07- Sporting-Deportivo, 1-0
5/08 - Sp. Braga-Sporting, 1-1
9/08 - Sevilha-Sporting, 2-4
10/08 - Huelva-Sporting, 0-3
21/08 - Sporting-Inter, 0-0
CAMISOLA EM LEILÃO
Uma camisola do Sporting com o nome de Luís Figo e o número sete do médio do Inter de Milão, especialmente criada para os festejos do Centenário Leonino, vai ser leiloada na internet no Portal Sapo.
Além da camisola de Figo, ex-jogador do clube de Alvalade, os equipamentos que os futebolistas do Sporting usaram ontem no jogo de apresentação frente à formação italiana estarão também disponíveis no leilão.
As receitas do evento, que teve início ontem às 20h30 e termina quinta-feira às 18h00, irão reverter inteiramente para a Fundação Luís Figo.
FIGO: "SEREI SPORTINGUISTA ATÉ MORRER"
Noite de gala em Alvalade no jogo de apresentação aos sócios frente ao todo poderoso Inter Milão. A festa foi cheia de cor e animação no dia que marcou também o fim dos festejos do Centenário dos ‘leões’. Mas o grande momento da noite acabou por ser a homenagem a um ex-jogador do clube, Luís Figo.
Poucos minutos antes de se dar início à partida, o internacional português subiu ao relvado ao som do tema dos Xutos & Pontapés ‘A minha casinha’ num momento que ficará para sempre guardado na memória de Figo. Durante largos minutos os adeptos aplaudiram incessantemente o seu ídolo de sempre. Inúmeras faixas, um pouco por todo o estádio, com palavras de apoio ao craque ilustraram o enorme apreço que os sócios ‘leoninos’ têm pelo ex-jogador do clube. A Juve Leo mostrou uma camisola gigante do Sporting, com o nome de Figo e o sete nas costas e o Directivo XXI escolheu uma tarja com a inscrição “Figo = Escola do Sporting”, onde também se via o número de sócio do futebolista: 24779.
Depois de receber das mãos do presidente do Sporting, Filipe Soares Franco, a medalha de ouro do Centenário do clube, um cachecol e a camisola do Sporting, Figo passou aos agradecimentos: “O meu muito obrigado por esta sentida homenagem. Quero desejar felicidades ao clube do meu coração e a aproveitar para dizer que estou com o Sporting”, afirmou, arrancando das bancadas a maior ovação da noite. Mais tarde, Figo jurou fidelidade ao clube: “Serei sportinguista até morrer. Esta é uma homenagem de uma família à qual me orgulho de pertencer.”
Antes de Figo, o plantel ‘leonino’ subiu ao relvado de Alvalade onde um a um os jogadores foram apresentados aos sócios. Ricardo, Liedson e o jovem Djaló foram os mais aplaudidos.
OVAÇÃO A RICARDO
Após a troca de palavras com Vítor Baía, o guardião Ricardo acabou por ser o jogador mais aplaudido pelos adeptos durante a apresentação.
MÚSICA DA 'CHAMPIONS'
A apresentação, um a um, dos jogadores do Sporting fez-se ao som da música da Liga dos Campeões, prova a que os ‘leões’ regressam este ano.
MANCINI LEVA MEDALHA
O treinador do Inter de Milão, Roberto Mancini, recebeu do seu homólogo ‘leonino’, Paulo Bento, a medalha de prata do centenário do clube.
OBIKWELU E NAÍDE GOMES
Embora ausentes, os atletas Francis Obikwelu e Naide Gomes também foram homenageados pelas medalhas ganhas nos Europeus da Suécia.
TRÊS 'DIAMANTES'
Três associados ‘leoninos’ (números 26, 27 e 28) receberam o emblema de diamante do clube devido aos seus 75 anos de filiação ao Sporting.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)