Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

TEMOS DE JOGAR COM UM SÓ CORPO

A selecção nacional de Sub-21 joga hoje o tudo ou nada para alcançar a fase final do Europeu, na 2.ª mão do ‘play-off’, frente à França, em Clermont-Ferrand. Ainda nada está perdido, exceptuando as bagagens, que foram desviadas em Paris, depois da escala no Aeroporto de Orly.
18 de Novembro de 2003 às 00:00
A tarefa lusa não se adivinha fácil, perante uma França madura (vice-campeã da Europa) e em vantagem (2-1). Mas isso não amedronta o conjunto nacional. “Temos capacidade para vencer. Sabemos que temos de marcar dois golos, de modo a legitimar a nossa presença no Europeu. Estamos tranquilos”, adiantou o seleccionador José Romão. Contudo, há que corrigir alguns aspectos, nomeadamente excesso de individualismo. “Para se ter sucesso há que jogar como uma equipa. Às vezes, estes jovens esquecem-se deste segredo. Temos de ser uma equipa solidária que joga como um só corpo. Por vezes existe algum egoísmo”, adiantou José Romão, que vai colocar Bruno Alves a marcar Cissé.
Jorge Ribeiro fica de fora por estar castigado, enquanto Ricardo Costa vai alinhar no lado esquerdo da defesa. Quase certa é a inclusão de Tiago no meio-campo, depois de ter falhado a 1.ª mão devido a uma gripe.
Não é só Portugal que tem o seu futuro indefinido, já que outras 14 selecções entram em acção. Se Sérvia e Montenegro tem o apuramento quase garantido (5-1 à Noruega), já Espanha e Escócia têm de recuperar de dois golos de desvantagem, frente à Suécia e Croácia, respectivamente. A Alemanha terá de defender a magra vantagem sobre a Turquia, o mesmo sucedendo à Rep. Checa na recepção à Suíça. Dinamarca-Itália e Bielorrússia-Polónia estão em igualdade de circunstâncias (1-1 na 1.ª mão).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)