Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

TÉNIS/OPEN AUSTRÁLIA: GUGA MANTÉM A TRADIÇÃO

Com a quarta jornada do Open da Austrália ficou ontem concluída a segunda ronda de singulares – e mais alguns cabeças-de-série ficaram pelo caminho, com destaque para a eliminação de três ex-campeões de torneios do Grand Slam: o brasileiro Gustavo Kuerten, o holandês Richard Krajicek e a norte-americana Monica Seles.
17 de Janeiro de 2003 às 00:00
Dos três, Gustavo Kuerten prometia ser aquele que tinha mais aspirações para se tornar um dos protagonistas da edição deste ano. Depois de um período de 16 meses a contas com problemas físicos e consequentes convalescenças, o brasileiro ganhou na passada semana o torneio de Auckland e parecia estar de regresso ao seu melhor nível... mas não esperava pela emboscada do checo Radek Stepanek e perdeu numa maratona de cinco ‘sets’ pelos parciais 5-7, 6-3, 7-5, 4-6, 6-3, gorando as expectativas gerais de um sumptuoso duelo com o seu sucessor (no ‘ranking’) Hewitt na eliminatória seguinte.

Stepanek, que saiu do anonimato ao ultrapassar a fase de qualificação e chegar aos quartos-de-final do Estoril Open, já havia ganho a Guga em Paris-Bercy - mas ninguém esperava que repetisse a proeza. O facto é que o conseguiu: “Tenho um bom jogo para o derrotar; jogo bem no fundo do ‘court’ e à rede, misturo bem a cadência de jogo”, comentou. E teve êxito, sobretudo com os ‘amorties’ e as subidas à rede à sucapa: “Ele não me deixou nunca entrar no meu ritmo”, admitiu Guga.

David Nalbandian (campeão do Estoril Open) e Jarkko Nieminen (finalista) também já estão na terceira ronda. Nieminen bateu Yevgeny Kafelnikov e defronta hoje o argentino Guillermo Coria, enquanto Nalbandian ultrapassou ontem Jaymon Crabb.

O chileno Fernando Gonzalez (13.º) e o argentino Juan Ignacio Chela (19.º) foram os restantes cabeças-de-série a acompanhar Guga na derrota, tal como o holandês Richard Krajicek (ex-campeão de Wimbledon). À partida para a terceira ronda, restam somente quatro titulares de Grand Slam: Hewitt, Safin, Albert Costa e o 'eterno' Agassi.
Ver comentários