Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Toca e não foge de leão temeroso

O Sporting entrou ontem num jogo de toca e não foge frente ao V. Guimarães e o empate a zero fez com que os leões não se conseguissem destacar à concorrência logo na 1ª jornada (a equipa de Sá Pinto imitou Benfica, FC Porto e Sp. Braga).

20 de Agosto de 2012 às 01:00
André André tenta desarmar o extremo peruano Carrillo
André André tenta desarmar o extremo peruano Carrillo FOTO: Miguel Vidal / Reuters

Foi um encontro muito intenso, competitivo e, sobretudo, táctico, baseado na transpiração, mas em que a inspiração andou arredada dos conjuntos.

Esperava-se mais do Sporting, só que a equipa leonina ficou-se por intenções, temerosa na abordagem à baliza de Douglas e aquém no risco – apesar de boas movimentações de Carrillo e Insúa. E como diz o ditado, ‘quem não arrisca, não petisca’.

Muito do que o Sporting não conseguiu também se deveu à excelente organização do V. Guimarães, sempre disponível para tapar os espaços ao Sporting e a não deixar a bola sair em condições para os atacantes leoninos, que raras vezes se conseguiram libertar. À falta de jogadas colectivas que pudessem desmobilizar o adversário, a partida viveu de fogachos. Como o Sporting tem mais individualidades do que os vimaranenses, houve por isso mais manobras de algum perigo perto da baliza minhota, sobretudo quando entrou Labyad (Adrien, primeiro, e André Martins, mais tarde, ficaram aquém das expectativas). O empate premeia a vontade de ambas as equipas e castiga a falta de génio ofensivo.

"FALTOU UM GOLO", DISSE SÁ PINTO

"O resultado não se ajusta. Faltou fazer um golo. Mas a exibição deixa--me agradado. O Sporting teve personalidade e vontade de ganhar. Fomos superiores em tudo, mas faltou finalizar as oportunidades criadas", disse Sá Pinto, técnico do Sporting.

 

Sporting Cidade Berço V. Guimarães Sá Pinto Liga leões
Ver comentários