Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Tribunal analisa contas da Académica

O Tribunal de Coimbra, onde o presidente da Académica, José Eduardo Simões está a ser julgado por crimes de abuso de poder e corrupção, vai solicitar às finanças documentos que permitam analisar a entrada e saída de capitais no clube entre 2002 e 2007.
18 de Outubro de 2010 às 17:23
José Eduardo Simões está acusado de abuso de poder e corrupção
José Eduardo Simões está acusado de abuso de poder e corrupção FOTO: Bruno Pires

O objectivo é perceber se a Académica terá tirado benefícios financeiros, enquanto José Eduardo Simões acumulava o cargo de presidente com o de director do urbanismo da Câmara Municipal de Coimbra, que exerceu de 2002 a 2005.

Na sessão que decorreu esta segunda-feira, foram ouvidas as testemunhas abonatórias. Jorge Figueiredo Dias,  professor catedrático de Direito na Universidade de Coimbra, referiu em tribunal que Simões “terá sido, porventura, comandado por segundos códigos, correntes noutros clubes”, referiu, explicando: "Não creio que tenha feito algo diferente daquilo que é usual nos clubes".

Referindo-se a Simões, a testemunha indicou que "não é do seu carácter aproveitar situações políticas em proveito próprio", porque "é uma pessoa particularmente rígida, mas com sentido claro das normas de conduta".

Francisco Andrade, ex-treinador, ex-atleta e sócio da Académica,também ouvido, indicou que "a Académica está melhor hoje". "O engenheiro Simões aproximou o mundo academista, como não acontecia há vários anos, porque as pessoas viram nele a possibilidade do clube dar um salto qualitativo", disse.

Ver comentários