Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Um leão dócil e vulnerável

Foi um leão dócil aquele que se despediu ontem de Evian-les-Bains, incapaz de segurar uma vantagem conseguida nos minutos iniciais, após um autogolo do guarda-redes Apoula (2’) e um cabeceamento certeiro de Carriço (4’). O Sporting denotou dificuldades na construção de jogadas de ataque, muito por conta do cansaço de Maniche e de uma tarde discreta de Djaló e Postiga. Também pecou demasiado nos processos defensivos, acumulando erros que permitiram ao PSG fazer quatro golos e virar o marcador.
15 de Julho de 2010 às 00:30
Simon Vukcevic (esq.) marcou o livre em que Daniel Carriço, de cabeça, marcou o segundo golo do Sporting, na derrota (4-2) diante do PSG
Simon Vukcevic (esq.) marcou o livre em que Daniel Carriço, de cabeça, marcou o segundo golo do Sporting, na derrota (4-2) diante do PSG FOTO: PEDRO FERREIRA/RECORD

A juntar à má exibição, Paulo Sérgio perdeu Carriço aos 80’. Um choque violento com o guarda-redes do PSG levou o central a queixar-se do braço esquerdo. O golo de Carriço foi o ponto alto do futebol verde-e--branco, até porque a equipa estava em vantagem sem ter tocado na bola, e o nº 3 aproveitou um livre de Vukcevic para atirar de cabeça para o fundo da baliza.

Os franceses marcaram por Erding (rematou por entre as pernas de Rui Patrício) e Giuly, de zona frontal, após um canto e depois de Evaldo ter falhado o corte. Sessegnon e Maurice fecharam a contagem na etapa complementar, quando o Sporting ameaçava subir de rendimento. Ficou-se pelas ameaças, pois não aproveitou a maior posse de bola para criar perigo. O reforço Valdés escapou à mediocridade ofensiva dos leões, com um livre potente que levou o guarda-redes do PSG a aplicar-se.

"TEMOS DE SER MAIS ADULTOS"

"Temos de ser mais adultos e coesos. Não podemos sofrer três golos de bola parada," disse Paulo Sérgio após a derrota com o PSG (4-2). Apesar de se mostrar insatisfeito, o técnico salientou que "o PSG fez cinco remates à baliza e marcou quatro golos" e destacou algumas boas indicações. "Na primeira parte estivemos bem e criámos várias oportunidades. Foi uma etapa. É agora que testamos sistemas e vemos quais são as nossas carências", sublinhou. " O balanço do estágio é positivo. Foi bom para fortalecer o grupo", concluiu.

REFORÇOS À LUPA

EVALDO: APÁTICO E PERMISSIVO

Falhou no lance do 1.º golo do PSG ao permitir que Giuly aparecesse à vontade na direita para cruzar para golo. Apático a defender e a atacar.

MANICHE: FALTOU-LHE LIDERAR

Proporcionou excelente defesa a Apoula, num remate fora da área (24’). Esteve menos influente do que tem sido habitual, ainda assim regular.

SALOMÃO: MARCOU PONTOS

Entrou aos 65’ e pouco depois isolou Yannick com um bom passe. Mostrou bons pormenores técnicos, mas a espaços desapareceu do jogo.

VALDÉS: BOM DE BOLA

Jogou a avançado no centro e teve bons apontamentos. Marcou um livre com perigo (77’) e, em 25 minutos, foi dos melhores na 2.ª parte.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)