Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

'VAI SER DIFÍCIL ESQUECER O QUE ME FIZERAM'

Oito meses depois, Quim regressa à Selecção. Após um longo castigo, o guarda-redes confessou ao ‘CM’ as suas mágoas e as expectativas para o futuro.
4 de Outubro de 2002 às 23:27
Correio da Manhã – Já recuperou psicologicamente do longo período de castigo que enfrentou?
Quim – Recuperei o gosto de jogar futebol, mas vai ser muito difícil esquecer o que me fizeram. Foram momentos muito maus. As exibições no Braga e, agora, a chamada à selecção vão ajudar a afastar esses momentos. Espero vir a esquecer o que se passou.

– Como recebeu a notícia da sua chamada à selecção nacional?
– Fiquei muito feliz! O regresso à selecção era um grande objectivo. Falhei o Mundial’2002, mas agora espero estar no Euro’2004, uma prova que será muito importante para mim.

– Chegou a pensar que a sua segunda suspensão [22 de Maio] serviu para justificar a sua exclusão da convocatória?
– Pensei em tudo! O meu caso esteve cheio de dúvidas, de incertezas e cheguei a pensar nessa possibilidade. Todos sabiam que o castigo ia ser levantado no dia 15... Mas isto já passou e o que interessa agora é o futuro.

– E como foi acompanhar de fora a campanha portuguesa no Mundial?
– Como todos os portugueses, esperava mais. As coisas correram mal, mas acho que já se falou de mais sobre isso... Na minha opinião foi mera infelicidade, nomeadamente no primeiro jogo que é sempre o mais importante.

– A verdade é que agora a selecção começa a mudar. Como vê esta renovação?
– Os responsáveis acharam por bem renová-la. Alguns jogadores já saíram, mas temos jovens valores de grande talento para substituí-los. A idade poderá diminuir, mas a qualidade vai manter-se intacta e queremos prová-lo no Europeu.

– Agostinho Oliveira considerou-o como o “segundo melhor guarda-redes” do País...
– Foi importante para mim ouvir isso da boca do seleccionador Agostinho Oliveira e fiquei muito feliz pelas palavras. Depois de uma fase muito difícil na vida, dá-me mais força para prosseguir. Quero trabalhar para ser cada vez melhor e poder justificar este apoio.

– E acredita que Agostinho Oliveira tem condições para continuar com a selecção ‘AA’?
– Conheço o “mister” Agostinho há vários anos e fui campeão com ele nas camadas jovens. Ele já orientou a selecção em Inglaterra, mostrou que tem capacidade e justificou a confiança que depositaram nele. A decisão pertence à FPF. Se ele continuar, a equipa não irá estranhar, porque quase todos os jogadores já passaram por ele.

– O seu regresso prende-se de certa forma com o castigo de Vítor Baía...
– Isto é um problema do FC Porto e do Vítor. Este tipo de situações acontecem e o castigado é sempre o jogador. Espero que ele volte o mais rapidamente possível porque o Vítor, estando em forma e a jogar, será sempre seleccionável.

– Confirma o interesse do Benfica noticiado durante o defeso? Ainda espera dar o salto para um grande?
– É claro que espero dar o salto. Soube pelo presidente do Braga do interesse do Benfica, mas não passou disto. Por outro lado, a situação foi por água abaixo com tudo o que me aconteceu.
Ver comentários