Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

VALVERDE DOMINA SERRA

O ciclista espanhol Alejandro Valverde (Kelme) foi o vencedor da 15.ª etapa da ‘Vuelta, que ligou Valdepeñas ao alto da Serra de La Pandera, na distância de 172,1 quilómetros.
22 de Setembro de 2003 às 00:00
A tirada que registou o regresso da prova à alta montanha teve na ponta final uma subida de categoria especial que conduziu à meta, mas acabou por não fazer grandes ‘estragos’ na classificação geral. E foi precisamente na subida especial que Valverde se mostrou mais forte do que o ‘trepador’ colombiano Felix Cardenas (Labarca2) e o espanhol Roberto Heras (US Postal). Todavia, este último, ao fazer o terceiro lugar na etapa, ganhou 1.13 minutos ao líder, o seu compatriota Isidro Nozal (ONCE), que cruzou a linha de chegada na 15.a posição.
Aliás, Nozal não sentiu em demasia o regresso à montanha acabando por se poupar para as etapas finais, limitando-se a não perder muito tempo para os seus mais directos adversários. O camisola dourada controlou a sua prova de forma a terminar no top-20, facto que alcançou.
O estatuto de melhor corredor da equipa portuguesa Milaneza/MSS, foi mais uma vez para o dinamarquês Claus Moller, terminando na nona posição, enquanto o espanhol Txema del Olmo, concluiu o percurso no 13.o lugar.
Numa etapa cheia de ilusões para os ‘trepadores’, cedo começaram as tentativas de fuga, com 16 corredores, entre eles o português Renato Silva, a conseguirem uma ligeira vantagem, mas o pelotão estava atento e respondeu sempre a todas as intenções. Na fase final da tirada Cardenas atacou, com o ciclista da Milane-za/MSS, del Olmo a seguir-lhe na roda, mas a verdade é que o trio, Heras, Oscar e Valverde, não deram hipótese, com o último, a três quilómetros da meta e em plena subida de categoria especial, a deixar para trás a concorrência vencendo a etapa.
Hoje cumpre-se o segundo dia de descanso na ‘Vuelta’.
TXEMA: TENTEI A MINHA SORTE
Para o corredor da equipa portuguesa Milaneza/MSS, Txema del Olmo, a etapa de ontem “foi bastante difícil”. Recorde-se que o ciclista maiato tentou a sua sorte a poucos quilómetros da meta, acabando por não conseguir o objectivo. “Tentei sair na subida pois sentia-me com força, mas a perseguição que me fizeram acabou com todas as possibilidades, dado que houve muitos ataques e depois não consegui responder como queria”. O corredor espanhol da equipa lusa adiantou, ainda, que esta etapa “foi um bom teste que demonstrou que me encontro bem e que na Serra Nevada posso estar de novo com os primeiros, embora saiba que vai ser uma etapa cheia de dificuldades, onde muitos querem melhorar a classificação e outros vencer a etapa”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)