Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Vénus ensonada segue com Serena rumo aos 'Quartos'

Independentemente de conquistar, ou não, no próximo fim-de-semana o seu quinto título individual do Open da Austrália - após os triunfos de 2003, 2005, 2007 e 2009 - Serena Williams consolidou esta segunda-feira a primeira posição do ranking mundial do Sony Ericsson WTA Tour. Para tal, precisou apenas de vencer Samantha Stosur nos oitavos-de-final, despachando a australiana com os parciais de 6-4 e 6-2.
25 de Janeiro de 2010 às 10:23
Vénus e Serena Williams seguem em frente no torneio
Vénus e Serena Williams seguem em frente no torneio FOTO: d.r.

Em 65 minutos, a norte-americana de 28 anos mostrou ter a lição bem estudada - especialmente depois da derrota imposta por Stosur em Stanford (2009) - não perdendo uma única vez o seu serviço, quebrando sim o saque da opositora em três ocasiões. "Peço desculpa por ter ganho, mas espero agora ter mais alguns apoiantes para o resto do torneio", apelou Serena ainda em court, confirmado o apuramento para os quartos-de-final, onde irá defrontar a vencedora do encontro entre Vera Zvonareva e Victoria Azarenka.

Horas antes da vitória da irmã mais nova, às 11 da manhã (hora local em Melbourne) Venus Williams fez as honras da Rod Laver Arena na oitava jornada do primeiro Grand Slam da temporada. No sexto encontro da carreira diante de Francesca Schiavone, ainda não foi desta que a norte-americana perdeu para a transalpina, embora a entrada de Williams na contenda tenha deixado a desejar. Segundo a mãe e treinadora, Oracene Price, Venus "tem alguma dificuldade em levantar-se cedo da cama", pelo que terá sido essa a justificação para um arranque menos conseguido. Contudo, é justo que se diga que o mérito esteve mais do lado de Schiavone que, com a experiência acumulada de 12 anos de carreira, logrou vencer pela segunda vez um set a Venus Williams. A partir daí, a actual sexta classificada da hierarquia mundial pareceu acordar finalmente para o encontro e não mais deixou a liderança do marcador, fechando o triunfo com parciais finais de 3-6, 6-2 e 6-1, ao cabo de uma hora e 54 minutos.

O SEGREDO ESTÁ NO "CHOP-SUEI"

Nos quartos-de-final pela sétima vez em 11 passagens pelo Open da Austrália, Venus Williams terá um duro teste diante de Na Li, a chinesa que assinou a grande surpresa da jornada desta segunda-feira, ao bater a quarta cabeça-de-série Caroline Wozniacki. É certo que a finalista do Estoril Open 2005 e 2006 já esta temporada tinha derrotado a dinamarquesa de 19 anos no torneio de Syndey - mas ainda assim esperava-se um pouco mais da vice-campeã do Open dos Estados Unidos de 2009. Obrigada a ligar a perna direita durante o confronto, Wozniacki jamais conseguiu explanar o seu ténis, oferecendo todo o mérito do triunfo à opositora, que se junta assim à compatriota Jie Zheng na fase seguinte. Do lado da 16ª cabeça-de-série, sorrisos foi o que mais se viu na conferência de imprensa e a brincar explicou que a chave do sucesso é possível que esteja "na comida chinesa".

A verdade é que a China coloca então duas tenistas nos quartos-de-final da 105ª edição do Open da Austrália, depois do apuramento de Jie Zheng, confirmando cada vez mais o ténis (feminino, diga-se) como um dos desportos em ascensão em terras do Oriente, onde ainda vão dominando o panorama o ténis-de-mesa e o badminton. Em relação aos fracos resultados demonstrados pelos homens até hoje - o melhor surge na 328ª posição do ranking ATP World Tour - Jie Zheng explicou há dias, de forma simples, o que os compatriotas terão de fazer para ser bem sucedidos: "precisam trabalhar mais".

SOLIDEZ RUSSA

Pela primeira vez no Open da Austrália 2010, Nikolay Davydenko teve a honra de actuar na Rod Laver Arena, o principal court do Grand Slam australiano. Ainda uma figura pouco carismática, valeu ao tenista russo estar nos oitavos-de-final e ter pela frente Fernando Verdasco, semifinalista da última edição, então batido numa longa maratona pelo compatriota Rafael Nadal.

Na estreia então no palco principal, o russo acabou por aproveitar a oportunidade ao máximo e bateu o espanhol em cinco partidas. Começou melhor Davydenko, chegando à vantagem de dois sets a zero, mas veria depois o esquerdino madrileno recuperar da desvantagem para um decisivo quinto parcial. Aí, com ambos os tenistas já a roçar os limites físicos, sobressaiu a consistência do campeão do Estoril Open 2003, com Davydenko a fechar o apuramento para os quartos-de-final com os parciais de 6-2, 7-5, 4-6, 6-7(5) e 6-3, em três horas e 57 minutos.

O próximo adversário de Nikolay Davydenko sairá do encontro mais aguardado do dia entre Roger Federer e Lleyton Hewitt, um confronto que o russo garante ir seguir com atenção. "Isto se derem na televisão, claro...", despediu-se a rir.

Novak Djokovic saiu também vencedor do encontro com o polaco Lukasz Kubot (6-1, 6-2 e 7-5) e terá de aguardar pelo desfecho do embate entre Jo-WIlfried Tsonga e Nicolas Almagro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)