Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Vieira pede transparência para a próxima época

O presidente do Benfica voltou ontem a erguer a bandeira da “transparência” e expressou o desejo de que as provas para a próxima época “não estejam sob o manto da suspeição”.
1 de Julho de 2007 às 00:00
Luís Filipe Vieira ( ao centro) quer ver punidos infractores no ‘Apito Dourado’
Luís Filipe Vieira ( ao centro) quer ver punidos infractores no ‘Apito Dourado’ FOTO: Nuno André Ferreira
Luís Filipe Vieira deslocou-se a Trancoso onde inaugurou a casa do Benfica local, que já existe desde 2003 e conta com 210 sócios. Num discurso curto e muito aplaudido por mais de três centenas de adeptos, o presidente do clube da Luz clamou, mais uma vez, por “transparência” e “rigor” no futebol português. “Que a transparência no futebol português seja uma realidade. É para isso que temos lutado”, afirmou.
Depois, e numa linguagem ‘simpática’, Luís Filipe Vieira dirigiu-se, implicitamente, a Pinto da Costa. “O que se passou no futebol português é muito grave e não pode ser apagado nem colocado numa gaveta”, referiu o presidente do Benfica, acrescentando: “Não vale a pena virem com apelos à Senhora Divina, ou sacudirem a água do capote. Não nos venham mostrar papéis velhos e gastos, nem dar lições sobre viagens ou sobre as relações com a Comunicação Social, porque não nos vão calar”, assegurou.
Sobre a nova época que amanhã começa, Luís Filipe Vieira, ao contrário do que os adeptos esperavam, não levou nenhuma novidade a Trancoso. Os simpatizantes bem perguntaram por Miccoli e outros reforços, mas Vieira fez que não ouviu. Apenas referiu que é tempo de se “renovarem expectativas e ambições”. “Mas no Benfica há algo que nunca muda, os objectivos são sempre vencer as provas em que entra. Mantivemos a mesma estrutura e acrescentámos qualidade ao nosso plantel”, adiantou.
O presidente do Benfica chegou a Trancoso às 13h00 e foi recebido nos Paços do Concelho pelo presidente Júlio Sarmento, um benfiquista assumido. Após a inauguração da casa local, a comitiva do clube da Luz, onde estava a águia Vitória, participou num almoço-convívio.
ZORO PREPARADO PARA A GUERRA
Marc Zoro teve uma chegada atribulada a Lisboa, acabando por deixar o aeroporto apenas duas horas depois de ter chegado. Tudo por culpa de uma mala que despachou em Itália, mas não terá chegado no mesmo voo com ele. Não obstante a irritação que o incidente provocou no seu espírito, o internacional marfinense manifestou-se preparado para vencer no seu novo clube. “Penso que serei bem-vindo e vou dar o máximo pelo Benfica”, começou por dizer, acrescentando ainda sentir-se preparado para enfrentar as dificuldades da Liga portuguesa: “Quando se vai para uma guerra, levam-se todas as armas. Estou preparado para vencer, pois sei que este é um grande clube onde é preciso ganhar sempre.”
O ex-jogador do Messina diz também não temer a concorrência, destacando o colectivo em detrimento das prestações individuais dos jogadores. “No Benfica não há concorrência e com isto quero dizer que todos são opção e todos vão poder jogar. Vamos trabalhar juntos para ajudar a equipa e mesmo quem não joga terá de dar o seu melhor por uma causa comum”, concluiu Zoro.
APONTAMENTOS
BERGESSIO
Bergessio deixou ontem a Argentina, rumo a Lisboa, onde deverá chegar esta manhã. Antes, denunciou as mentiras da direcção do Racing Avelleneda, a quem acusou de ter mentido, ao dizer que lhe ofereceram ‘fortunas’ para ficar
LÉO PRESENTE
Léo vai apresentar-se amanhã, apesar de ter pedido mais alguns dias de férias à equipa técnica. O lateral-esquerdo teve assim de delegar em pessoas da sua confiança o pagamento das despesas ao pessoal hospitalar que cuidou da mãe.
MANU AGUARDA
Manu protagonizará uma situação particular, amanhã no Seixal. O extremo é o único, entre os jogadores dispensados, que se irá apresentar, mas José Veiga tentará arranjar-lhe clube. O AEK continua a ser a hipótese mais falada.
Ver comentários