Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

VIEIRA QUE DIGA SE PAGOU A FILOMENA PINTO DA COSTA

Paulo Barbosa abordou pela primeira o ‘caso Maniche’ e garantiu que o documento apresentado pelo Benfica é forjado. O empresário insinua que a autora da falsificação foi Filomena Pinto da Costa, que terá sido paga por Vieira. Acusações muito graves...
29 de Outubro de 2003 às 00:00
Correio da Manhã - Qual a sua versão do ‘caso Maniche’?
Paulo Barbosa - Alguém tentou induzir a opinião pública em erro, criando um facto, a que não é estranha a fase eleitoral que se vive. O Benfica apresentou um documento com um alegado acordo entre mim e o Maniche, mas sem nenhuma assinatura minha. O documento é forjado, é uma montagem monstruosa. Quem me conhece sabe que nunca faço contratos de procuração com jogadores.
– Além da de Maniche, as outras assinaturas são de Pinto da Costa e Adelino Caldeira, como já veio noticiado?
– As assinaturas são montagens porque nada têm a ver com o pretenso documento. Mas há um elemento que pode ajudar a compreender o que se passou. Há uns tempos, Filomena Pinto da Costa deu uma entrevista ao ‘Expresso’ em que dizia duas coisas extremamente interessantes: que várias vezes, em casa dela, elaborou contratos do FC Porto com jogadores; e acrescentou, muito estranhamente para mim, na altura, que um dia o Maniche se dirigiu a ela a pedir uma cópia de um contrato porque o FC Porto não queria cumprir o acordo que tinha assinado com ele. O que é falso.
– Está a acusar Filomena Pinto da Costa de ter estado por detrás de tudo isto...
– Quero apenas colocar uma questão a Luís Filipe Vieira. Se é ou não verdade que passou cheques na ordem dos milhares de contos a Filomena Pinto da Costa. E pergunto isto tendo em conta que ele é um homem de família...
–Está a insinuar que Filomena Pinto da Costa foi paga pelo Benfica para forjar o documento?
– Estou apenas a colocar uma questão ao senhor Luís Filipe Vieira e gostaria que ele respondesse.
– O original do documento alguma vez existiu?
– A única coisa que existe é um contrato entre o FC Porto e o Maniche, feito no dia em que o Benfica, por vontade própria, rescindiu amigavelmente com o jogador, quatro meses antes de terminar o contrato. Foi na base dessa rescisão amigável, com a concordância do senhor Luís Filipe Vieira, que se fez um contrato com o FC Porto. A rescisão amigável foi feita porque durante um ano inteiro, de forma propositada e consciente, não deixaram o Maniche exercer a sua profissão. Então o jogador pediu ao Benfica para rescindir amigavelmente e, nessa altura, Luís Filipe Vieira e Manuel Vilarinho acederam.
PERFIL
Paulo Barbosa é agente FIFA e iniciou a sua actividade como empresário dos jogadores russos que no início da década de 90 rumaram ao Benfica (Iuran, Kulkov e Mostovoi). Hoje, as suas relações com o clube da Luz não são as melhores. É representante de Maniche, Miguel, Ednilson, entre outros.
FILOMENA: "É TUDO UM ABSURDO"
O CM confrontou ontem Filomena Pinto da Costa com as insinuações de Paulo Barbosa, mas a ainda mulher do presidente do FC Porto (estão separados mas ainda não divorciados) não se quis alongar em comentários. “Tudo isto é tão absurdo, que não me merece comentários. Não tenho nada a ver com esta história e não sei porque me estão a envolver nela”, afirmou, negando ter recebido dinheiro de Luís Filipe Vieira.
Questionada sobre a possibilidade de vir a ser funcionária do Benfica, como chegou a ser noticiado, Filomena, retorquiu: “Ainda não está nada definido. É uma hipótese que não coloco de parte. As coisas estão em ‘stand-by’”. O ‘caso Maniche’ surgiu quando o Benfica fez uma participação na Liga contra o Maniche e o FC Porto, apresentando um documento onde alegadamente surgiam as assinaturas do jogador e de Pinto da Costa, tendo a Liga instaurado um processo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)