Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

VILLENEUVE ESTÁ DE VOLTA

Depois de quase um ano de ausência do Mundial de Fórmula 1, eis que o piloto canadiano Jacques Villeneuve está de volta aos comandos de um bólide, depois de ontem ter assinado um contrato válido por dois anos com a escuderia Sauber, substituindo o italiano Giancarlo Fisichella. Villeneuve, contudo, vai disputar os três últimos GP deste ano pela Renault, depois da saída de Trulli.
16 de Setembro de 2004 às 00:00
A Renault tem sido uma das equipas que mais nomes tem atraído. Falava-se mesmo que Villeneuve, campeão do Mundo de 1997, ao serviço da Williams, antes do início do reinado do alemão Michael Schumacher, iria ser o substituto do italiano Jarno Trulli nos próximos anos, mas o canadiano, que vai agora fazer parceria com o brasileiro Felipe Massa, acabou por ir parar às mãos de Peter Sauber, dono da escuderia suíça.
“Estou muito satisfeito por voltar à Fórmula 1. Todos estão a depositar grandes esperanças em mim e eu gosto disso”, avançou o canadiano. “Quero trabalhar o melhor que sei na Sauber e levar a equipa para o topo da classificação nos próximos dois anos”.
Villeneuve, que há um ano foi afastado da escuderia BAR, está assim de regresso às pistas. O último GP que disputou foi em Indianápolis, a 28 de Setembro de 2003, e no seu currículo já conta com onze vitórias em 130 corridas.
TRULLI PERTO TOYOTA
O italiano Jarno Trulli, entretanto, deverá ser hoje confirmado como o novo piloto dos japoneses da Toyota, depois de ter abandonado a Renault no decorrer da passada semana.
O vencedor do Grande Prémio do Mónaco desta temporada confessou à Comunicação Social que a Renault forçou a sua saída da escuderia francesa, mas está contente pelo facto de os responsáveis gauleses lhe terem dado ‘carta verde’ para se juntar a outra equipa com efeitos imediatos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)