Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Vitória do sacrifício

Um golo de Wender, de cabeça, quase no final da primeira parte do prolongamento, garantiu ontem a passagem do Sp. Braga à fase de grupos da UEFA.
29 de Setembro de 2006 às 00:00
Wender comemora com os colegas a obtenção do precioso golo
Wender comemora com os colegas a obtenção do precioso golo FOTO: Raccamari/EPA
Com necessidade de correr atrás do prejuízo (tinha perdido em Braga por 2-0), a equipa do Chievo começou a subir no terreno e chegou ao golo, aos 37’. A um centro bem medido de Kosowski, respondeu ainda melhor, de cabeça, o ponta-de-lança Tiribocchi, inaugurando o marcador. A primeira parte terminou com o Braga encostado às cordas.
No segundo tempo, entrou melhor o Braga e Maciel, logo aos 55’, apareceu isolado frente Sicignano, mas atirou por cima da barra. A partir desta altura, só deu Chievo, que conseguiu empatar a eliminatória aos 67’. Um falhanço incrível de Paulo Jorge permitiu o remate à queima-roupa de Marcolini, a que Paulo Santos ainda conseguiu opor-se, mas, na recarga, Godeas atirou a contar. O Braga resistiu e o jogo foi para prolongamento.
O Braga entrou melhor e, sobretudo, não deu espaço aos médios do Chievo para organizarem o jogo.
Após uma boa jogada de Carlos Fernandes, Wender tocou na bola, meio com a cabeça, meio com o ombro, e o Braga deu um passo importante, já que, para seguir em frente, o Chievo tinha de marcar dois golos.
Apesar de nunca ter baixado os braços, o Chievo não teve pernas para dar a volta à situação e o Braga segue em frente para a fase de grupos da Taça Uefa.
Ver comentários