Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

VITÓRIA NAS MÃOS DOS CONSTRUTORES

O Vitória de Setúbal viu confirmada anteontem, com o empate (2-2) frente ao Braga, a descida à II Liga e as figuras da cidade não perdem tempo para tentar reanimar o clube. Júlio Adrião, ex-director sadino, é um dos rostos de uma lista que deverá ser apresentada nos próximos dias para fazer frente a Jorge Goes nas eleições, que se terão de realizar até 17 de Junho.
21 de Maio de 2003 às 00:00
A decisão de formar uma frente de oposição surgiu depois do recente pedido de demissão e anúncio de recandidatura de Goes. Adrião, médico setubalense, de 44 anos, director do departamento médico e de futebol juvenil nas presidências de Justo Tomás e Sousa e Silva, acusa Goes de "incompetência" e avisa que “por este andar vai acontecer com o Vitória o mesmo que com o Farense".
"Este presidente conseguiu em três anos e meio colocar a equipa duas vezes na II Liga”, afirmou o ex-dirigente sadino, que foi também presidente do Alcacerense. "O que o Vitória precisa neste momento é de alguém com capacidade para tirar o clube do caos”, advertiu Adrião, sócio do clube há 40 anos, descartando porém a hipótese de ele próprio assumir a liderança do projecto, alegando “motivos profissionais”. Sem revelar nomes, o médico garante que “existem na cidade pessoas e entidades que estão dispostas a formar uma oposição”.
Na entrevista concedida ontem ao CM, o médico, que foi responsável pelo departamento clínico e pelo futebol juvenil dos sadinos, considerou que "Jorge Goes conseguiu destruiu em três anos e meio um património que levou 90 anos a construir". Adrião também considera "estranha" a decisão de Goes em demitir-se, mas continuar a liderar a SAD. "deve haver uma jogada qualquer por detrás dessa decisão", afirma, sublinhando que "há falta de transparência nas contas do clube e uma evidente gestão ruinosa".
"Não cabe na cabeça de ninguém que numa época o clube tenha pago a três treinadores e a 12 adjuntos. Para não falar noutros esbanjamentos de dinheiro", disse, garantindo que "o Vitória neste momento não tem património porque já foi tudo vendido e está nas mãos dos construtores".
NA RESSACA DA DESCIDA
Consumada a descida à II Liga, Carlos Cardoso começou já a preparar os jogadores para o embate de sábado à noite com o Sporting, que marca a despedida do estádio de Alvalade. O treinador, que abandonará as actuais funções no final da prova, considera que é altura de reflectir. "Temos que reflectir o porquê de nos últimos 18 anos o clube ter descido cinco vezes de divisão", disse, sublinhando que "o lugar do Vitória é, e será sempre, na I Divisão".
Depois de Jorge Goes se ter demitido e recandidatado à presidência do clube, todos os processos no clube ficam em suspenso. A renovação, ou não, com os jogadores e a contratação do novo treinador, que tudo indicava ser Jorge Jesus, só será conhecida a partir de 17 de Junho, data até à qual se terão de realizar eleições.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)