Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Wayne Bridge recusa cumprimentar Terry (ACTUALIZADA)

Wayne Bridge recusou-se a cumprimentar John Terry no início do Chelsea-Manchester City que terminou com a primeira derrota caseira da equipa londrina nesta temporada, por um expressivo 2-4. A amizade entre os dois futebolistas, que chegaram a ser colegas no Chelsea, terminou quando Bridge descobriu que Terry teve um caso extraconjugal com a sua ex-companheira, a modelo francesa Vanessa Perroncel, obrigando-a a fazer um aborto.
27 de Fevereiro de 2010 às 12:46
Momento mais esperado pela imprensa britânica
Momento mais esperado pela imprensa britânica FOTO: Felipe Trueba/EPA

Num momento antecipado ao longo da semana pela imprensa britânica, os futebolistas do Manchester City iniciaram os habituais cumprimentos à equipa da casa e o central do Chelsea John Terry chegou a estender a mão para Wayne Bridge, mas este seguiu em frente, ignorando-o.

Na quinta-feira Wayne Bridge anunciou, através de um comunicado dos seus advogados, que renunciava à presença na selecção inglesa que vai disputar o Mundial da África do Sul justamente para evitar a convivência com o homem que manteve uma relação com a sua ex-companheira.

CHELSEA TERMINA COM NOVE

O Chelsea adiantou-se no marcador por Lampard mas ao final da primeira parte o argentino Tevez ludibriou Terry, Ricardo Carvalho e o guarda-redes Hilário num contra-ataque rápido, estabelecendo o empate.

A partir desse momento tudo correu melhor para a equipa visitante. Bellamy marcou o segundo e o quarto golos, enquanto Tevez bisou graças a um penálti que resultou na expulsão de Belletti, defesa brasileiro do Chelsea. Pouco depois, o médio Ballack recebeu o segundo cartão amarelo, reduzindo os da casa a nove.

Frank Lampard ainda marcou uma segunda vez aos 90 minutos, também graças a um penálti.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)