Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Destaque da Hungria já jogou em Rio Maior

Jovem passou uma época em Portugal, defrontando Benfica e Sporting.
Sérgio Pereira Cardoso 20 de Junho de 2016 às 08:55
Nagy (de branco) em ação pela seleção da Hungria, no jogo contra a Islândia que terminou empatado (1-1)
Nagy (de branco) em ação pela seleção da Hungria, no jogo contra a Islândia que terminou empatado (1-1) FOTO: EPA
Ádám Nagy, de 21 anos, tem sido um dos destaques da Hungria – e do próprio Europeu –, ele que até já foi apontado como possível reforço do Benfica (e chegou a dizer que gostava de jogar pelos Encarnados). Mas esta está longe de ser a única ligação do médio a Portugal: jogou toda a época 2012/13 em solo luso, pela Academia VSI Rio Maior.

Tudo começou quando o VisionPro Sports Institute (VSI) , projeto de – entre outros – antigos craques como Ian Wright e Mark Hughes, decidiu levar para Rio Maior a equipa sub-19, composta por ingleses, húngaros, espanhóis e portugueses. Nagy, 17 anos, destacava-se. "Desde muito cedo, mostrou ser inteligente e capaz de jogar com os dois pés. Tinha uma relação ótima com a bola", recorda Acácio Santos, treinador e comentador televisivo, que integrava a equipa técnica, destacando ainda a humildade e a educação do jovem.

O problema? A fragilidade física, que poderá ter levado Benfica e Sporting - defrontaram a VSI em particulares - a deixarem passar o craque debaixo do nariz. "Foi fundamental o trabalho do João Lapa [preparador físico] nesse aspeto", elogia Acácio Santos. Nagy cresceu e voltou para a Hungria.

"Excelente executante e aluno. Fiquei espantado e feliz ao vê-lo no Euro", frisa Rui Correia, técnico de guarda-redes na VSI, academia que, entretanto, se mudou para os Estados Unidos.
Ver comentários
}