Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Águia feliz avança na Taça da Liga

Águias fizeram uma exibição muito abaixo do esperado, sobretudo por terem jogado contra dez durante mais de 50 minutos.
Secundino Cunha 16 de Dezembro de 2021 às 01:30
Paulo Bernardo
Otamendi, poupado após o assalto de que foi vítima, esteve na bancada
Paulo Bernardo
Otamendi, poupado após o assalto de que foi vítima, esteve na bancada
Paulo Bernardo
Otamendi, poupado após o assalto de que foi vítima, esteve na bancada
O Benfica carimbou esta quarta-feira presença na final four da Taça da Liga, ao vencer, no Estádio da Luz, o Sporting da Covilhã por 3-0, com golos de Seferovic e Darwin.

Os encarnados entraram em campo com vontade de enervar as bancadas. Jogo lento, sem ideias e pleno de passes falhados. A turma da Serra cresceu e foi a primeira a criar perigo, com uma dupla oportunidade de golo. Helton respondeu bem a um potente remate de Gilberto Silva. Na sequência do canto, Jô cabeceou à barra.

Este lance ditou o fim do poder de fogo do Sp. Covilhã e a expulsão de Tembeng à passagem do minuto 40 abriu caminho à avalanche encarnada.

A vitória do Benfica começou a ser edificada ao minuto 27, com Seferovic a concluir uma excelente jogada em que Pizzi, de calcanhar, isolou Gonçalo Ramos que, por sua vez, serviu o suíço para o golo.

Ao intervalo, o técnico-adjunto João de Deus (Jesus cumpre castigo, mais na pág. 35) procedeu a três alterações. Meité, que viu infantilmente um amarelo ao minuto 5, deu lugar a Paulo Bernardo e Darwin e e Rafa entraram para os lugares de Seferovic e Pizzi.

Foi sobre Rafa que Gilberto fez penálti (68’), que Darwin converteu. O mesmo Darwin apontou o 3-0 (73’), num remate do meio da rua, em que Leo foi muito mal batido.

Jogo quanto baste do Benfica, mas muito abaixo do esperado, sobretudo por ter jogado mais de 50’ em superioridade numérica. Quanto ao Covilhã, os jogadores bateram-se com grande caráter, mostrando a Leonel Pontes que tem equipa.

positivo e negativo
+ Darwin é quem decide  
Foi com os dois golos do uruguaio que o Benfica conseguiu passar à final four da Taça da Liga. Quando ele não está em campo, parece faltar uma referência. E não apenas para marcar, também para lutar e, diga-se, para construir.

- Desnorte de Tembeng
Quando, ao minuto 20, viu o amarelo (bem mostrado), disparatou inusitadamente com o árbitro e faltou pouco para ser expulso logo ali. Sabendo que estava por um fio, pisou Everton (minuto 39) e viu o vermelho direto. Prejudicou a equipa.

Arbitragem tranquila
Numa partida sem VAR e com transmissão televisiva, a atenção dos árbitros tem de ser, em certos lances, redobrada. No jogo desta quarta-feira, Gustavo Correia esteve tranquilo e seguro. Bem tecnicamente e excelente do ponto de vista disciplinar.
Ver comentários
C-Studio