Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Bruno e Vieira em guerra aberta

Processo por difamação contra o presidente do Sporting vai avançar. Em causa estão os ataques a Luís Filipe Vieira.
João Pedro Óca e Mário Pereira 24 de Abril de 2017 às 02:33
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Vieira acusado de pressionar árbitro
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Vieira acusado de pressionar árbitro
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
Vieira acusado de pressionar árbitro
O Benfica vai avançar para os tribunais civis com um processo de difamação contra Bruno de Carvalho, apurou o Correio da Manhã. Esta é a reação das águias (que não fazem comentários) aos ataques do presidente do Sporting a Luís Filipe Vieira.

"É um cobarde refém de claques ilegais e de uma cartilha de terrorismo comunicacional. Esconde-se atrás de um Vale e Azevedo para tudo, mas veremos se não se tornarão vizinhos quando deixar de ser presidente do Benfica", escreveu o líder dos leões no Facebook. Depois de o presidente do Benfica, após o dérbi, ter assumido que Bruno de Carvalho estava a "incendiar o futebol português", o líder leonino recordou o passado do rival. "O pó da porta 18 não chegou, até porque Vieira passou pelos pingos da chuva. Histórias com pó à mistura perseguem-no durante toda a vida", disse, lembrando a detenção de um ex-funcionário do Benfica por transportar cocaína num veículo do clube. As movimentações faziam-–se pela porta nº 18 do estádio da Luz.

Bruno de Carvalho também não perdoa o facto de Vieira o ter comparado a Vale e Azevedo (antigo presidente do Benfica preso por fraude e burla), para justificar a recusa em ver o dérbi na tribuna. "É triste ver qualquer tipo de ser humano refém. Mesmo o mais reles de personalidade merece ter a sua liberdade, mesmo que a use mal. Acreditei que Vieira seria capaz de sofrer uma regeneração quando lhe fiz o convite, mas o facto de estar refém de claques ilegais que apoia não o permitiram". O líder dos leões lamenta ainda a forma como Vieira reagiu à morte do «adepto leonino. "A cartilha mandou-o perguntar o que estava a fazer um adepto do Sporting ao pé do estádio da Luz. Isso demonstra o quão rasteiro e baixo pode ser um ser humano. Tenho pena deste presidente cobarde e com tudo isso pouco digno de andar no futebol", rematou.
Ver comentários