Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Bruno Fernandes mantém esperança dos leões na Taça da Liga

Sporting venceu o Gil Vicente na segunda jornada da fase de grupos da competição.
Octávio Lopes e João Moniz 5 de Dezembro de 2019 às 01:30
Bruno Fernandes marcou desta forma o livre direto que garantiu o primeiro golo ao Sporting, com Acuña a ver
Bruno Fernandes marcou desta forma o livre direto que garantiu o primeiro golo ao Sporting, com Acuña a ver FOTO: Luís Vieira / MovePhoto
A classe de Bruno Fernandes foi esta quarta-feira decisiva para o Sporting vencer o Gil Vicente, por 2-0, e manter a esperança da equipa em chegar à final four da Taça da Liga. O capitão marcou um golão de livre direto e fez o passe final para Vietto aumentar a vantagem.

O jogo começou lento, mas com o decorrer dos minutos tornou-se interessante, sem deslumbrar. Gilistas e leões foram capazes de gizar algumas boas jogadas e levar a bola às respetivas áreas. Só que falharam na finalização. Mais os locais.

Leonardo Cordeiro foi o mais perdulário (no minuto 12, isolado, falhou a emenda a um centro de Romário) e Lourency o mais rematador, embora com pouca pontaria. No Sporting, o mais inquieto foi Bolasie, que teve boas iniciativas e um remate vistoso para boa intervenção de Denis. Destaque ainda para Miguel Luís que, isolado por Bruno Fernandes, ofereceu a bola a Dennis.

Na 2ª parte, houve mais Sporting. A equipa de Silas mandou o tempo quase todo e teve várias oportunidades. Na 1ª, Bruno Fernandes falhou à boca da baliza um grande centro de Wendel. Logo a seguir, Denis brilhou numa cabeçada de Luiz Phellype, após cruzamento de Miguel Luís. Seguiram-se largos momentos de domínio verde-e-branco sem criar perigo.

Até que, aos 89’, Bruno Fernandes sofreu uma falta, marcou o livre e... 1-0. O Gil foi para a frente sem assustar Renan e, num contra-ataque, o capitão isolou Vietto (tinha começado a jogada), que fez o 2-0.

ANÁLISE
Bruno Fernandes
+
Marcou um grande golo num livre direto e fez o passe de ‘morte’ que Vietto culminou no 2-0, após uma excelente jogada de contra-ataque. Fez a diferença. Mas também é verdade que discutiu muito com o árbitro e teve entradas a roçar o 2º amarelo e consequente expulsão.

Acuña
-É inacreditável a forma como Acuña discute com tudo e com todos. Foram poucos os lances que perdeu em que não visou os adversários ou o árbitro. Já com o Sporting a ganhar, viu, e bem, o segundo amarelo, que só não chegou mais cedo por complacência do árbitro Rui Costa.

Demasiados erros
Rui Costa cometeu demasiados erros em faltas que não marcou e cartões que ficaram por mostrar. Para um lado e para o outro. Mas o Gil tem mais razões de queixa. Benefício da dúvida numa entrada forte de Bruno Fernandes sobre Arthur Henrique, meio na bola meio no homem.


Capitão aguenta Nau e solta génio no fim
Renan –
Voltou à baliza após lesão sem sobressaltos, a não ser uma má saída aos 25’.
Ristovski –
Bem a defender, esforçado a atacar.
Coates –
Voltou a ser a referência defensiva, sempre no sítio certo à hora certa.
Luís Neto –
Regresso em crescendo. Arriscou fazer um penálti aos 27’ (lance é fora da área). Bom corte aos 73’.
Acuña –
Pouco seguro a defender, útil a atacar. Voltou a ser expulso sem necessidade.
Doumbia –
A (falta de) dinâmica gilista foi uma bênção.
Miguel Luís –
Mais uma oportunidade perdida. Ainda assim, quase assistiu Luiz Phellype para o golo.
Wendel –
Pouco lúcido, só foi objetivo num cruzamento para Bruno Fernandes.
Bolasie –
Foi o mais perigoso da equipa até ao intervalo, com duas boas oportunidades. Voltou a ameaçar aos 62’, mas foi caindo de rendimento à medida que o jogo avançou.
Bruno Fernandes - Marcou, mas estava em fora de jogo. Falhou um golo feito aos 50’, mas não se deixou afetar. Mostrou a classe habitual na forma como fez o 1-0 de livre e assistiu Vietto para o 2-0 final.
Luiz Phellype –
Perdulário, não conseguiu desviar a bola aos 12’, viu Denis negar-lhe o golo aos 55’ e, aos 69’, sozinho na área, rematou por cima.
Rafael Camacho –
Entrou para dinamizar o flanco direito. Sem sucesso.
Jesé –
Esteve apagado até arrancar o livre perigoso que valeu o golo do 1-0.
Vietto –
Entrou (demasiado) tarde. Exemplar no 2-0.


Leão não depende de si para passar
O Sporting continua na corrida pelo apuramento para a final four da competição. Contudo, uma vitória no último jogo do grupo com o Portimonense (dia 21) não será suficiente, se o Rio Ave vencer em casa o Gil Vicente.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)