Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Bruno Lage nega crise no Benfica: "Estamos em 1.º lugar"

Treinador recorda os críticos de que a equipa está na liderança do campeonato e na final da Taça de Portugal.
Miguel Custódio 15 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage
Bruno Lage

Desde que é o treinador principal do Benfica, esta é apenas a segunda vez que Bruno Lage fica dois jogos consecutivos sem vencer. Mas o técnico garante que a derrota com o FC Porto e o empate em Famalicão não deixaram o Benfica em crise. "Cada momento é um momento. Se olharmos para a época inteira, estamos em primeiro no campeonato e na final da Taça de Portugal", atirou, na direção dos críticos, na conferência de imprensa de lançamento do jogo deste sábado com o Sp. Braga.

Bruno Lage recusa olhar pela negativa para os quatro pontos que o Benfica tem de vantagem na liderança do campeonato e revela um episódio recente que o marcou e que lhe deu outra perspetiva. "O que é um bom momento ou mau momento? Depois do jogo com o Famalicão recebi a triste notícia que um pai de um amigo meu tinha morrido. Aí encontrei muitos amigos de infância que já não via há algum tempo. E um disse-me que o filho, de 5 anos, já tinha feito um transplante de fígado. E perante isto, nós vamos olhar para estas coisas como momentos maus? Não!". 

Sobre o jogo deste sábado, Lage garante que "só um grande Benfica pode vencer esta equipa". "Esperamos um Sp. Braga muito competente pelo que tem feito ao longo da época. No último mês foi a melhor equipa em Portugal, fez um mês fantástico, quer no campeonato, quer na Taça da Liga", analisou.

Quem pode desequilibrar este jogo e porquê?
Leonor Pinhão, jornalista
Os guarda-redes do Benfica e do Sporting de Braga é que podem desequilibrar o jogo. Ou, pensando melhor, podem desequilibrar o resultado por comparação ao jogo-jogado. Do lado do Benfica, por exemplo, foi Odysseas Vlachodimos quem desequilibrou ainda recentemente a eliminatória da Taça de Portugal disputada com o Famalicão. Nos dois jogos e, sobretudo no encontro da segunda mão, o guarda-redes do Benfica exibiu-se a um tal nível que, sozinho, impediu que o Famalicão chegasse ao Jamor.

João Magalhães, advogado
O SC Braga, atravessa uma fase de elevada estabilidade ao nível da gestão, que se reflete na academia e no plantel, produzindo grandes valores para o futebol nacional e internacional. Por isso, é inultrapassável que dois grandes jogadores podem desequilibrar este jogo pela sua genialidade. Trincão, que rende 31 milhões de euros ao SC Braga, e Rafa que rendeu 17 milhões. Assim, é certa a derrota do Benfica, porquanto, dúvidas não restam que esta faz uma assertiva escolha de jogadores, como o foi com Rafa e o é com Trincão.

"Pleno de vitórias sobre os grandes"
Queremos fazer o pleno de vitórias sobre os grandes no último mês", disse esta sexta-feira Rúben Amorim, referindo-se aos triunfos a dobrar sobre FC Porto e Sporting desde janeiro. Na antevisão à deslocação deste sábado (18h00) à Luz, o treinador do Sp. Braga garante que não vai abdicar da identidade da sua equipa: "A nossa forma de ser é muito ofensiva, é de querer ir ganhar o jogo. Não podemos mudar porque senão vamos perder a nossa qualidade."

Embora o foco esteja nos seus jogadores, o técnico admite que pretende explorar as fragilidades defensivas do Benfica, que sofreu oito golos nos últimos quatro jogos. "É uma equipa que mete muita gente no ataque e é normal que tenha menos gente cá atrás. Vamos testar as suas fraquezas", explicou Rúben Amorim, que espera um adversário diferente sem Gabriel: "A forma de jogar altera um pouco, tivemos que mudar algumas coisas".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)