Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Dragão esquece crise em noite de Champions

Marega, Sérgio Oliveira e Luis Díaz construíram o triunfo portista sobre o Marselha, com Corona a intervir nos três golos.
Mário Figueiredo e Filipe António Ferreira 4 de Novembro de 2020 às 01:30
Marega, agarrado por Caleta-Car, foi o autor do primeiro golo portista
Sérgio Conceição mostrou-se satisfeito com reação da equipa na Champions
Marega, agarrado por Caleta-Car, foi o autor do primeiro golo portista
Sérgio Conceição mostrou-se satisfeito com reação da equipa na Champions
Marega, agarrado por Caleta-Car, foi o autor do primeiro golo portista
Sérgio Conceição mostrou-se satisfeito com reação da equipa na Champions
O FC Porto deu esta terça-feira um pontapé na crise de resultados ao arrasar o Marselha, do ex-portista André Villas-Boas, por 3-0, na 3ª jornada da Liga dos Campeões.
A equipa de Sérgio Conceição entrou com tudo. O objetivo era apagar a má imagem deixada na derrota com o P. Ferreira (2-3) e bastaram quatro minutos. Altura em que Corona ganhou um ressalto e assistiu Marega para o 1-0. Bastou ao maliano encostar a bola para dentro da baliza.

Os franceses reagiram e até podiam ter empatado, quando o defesa central Sarr, que substituiu Pepe, fez falta para penálti sobre Thauvin. Payet rematou por cima.
Os dragões com um futebol apoiado e com um pressing na zona de construção do Marselha iam anulando as armas da equipa de Villas-Boas.

E não foi preciso esperar muito para que os portistas ampliassem a vantagem. Desta vez por Sérgio Oliveira na marcação de uma grande penalidade a castigar falta sobre Corona.

Os franceses esboçaram uma reação e até tiveram mais posse de bola, mas sempre inofensivos. O árbitro espanhol Mateu Lahoz ainda assinalou uma grande penalidade contra o FC Porto, mas, após consultar o VAR, anulou a decisão, pois a bola bateu na cara de Uribe e não na mão como inicialmente tinha pensado.
Alvaro González também teve uma boa ocasião para reduzir mas cabeceou por cima, apesar de não ter oposição da defesa portista.

Na etapa complementar, os dragões mantiveram a mesma toada, controlando o jogo e o resultado. Bastou Corona acelerar um pouco para causar estragos na defesa de Villas-Boas. Arrancou em direção à baliza e com um toque de calcanhar assistiu Luis Díaz no 3-0.

Os franceses fizeram o primeiro e único remate enquadrado com a baliza de Marchesín (76’). Muito pouco.

Triunfo justo do FC Porto perante um Marselha demasiado fraco. Com esta vitória, os dragões dão um passo importante rumo ao apuramento para os oitavos de final da prova. Para já, somam seis pontos em nove possíveis.

Pepe foi convocado mas ficou de fora
O central Pepe foi convocado por Sérgio Conceição, esteve com a equipa no Dragão, mas acabou por ficar fora da ficha de jogo. O jogador de 37 anos tem uma lesão no pé esquerdo. Sarr jogou no seu lugar.

Análise ao jogo

Positivo: Corona oferece golos
Corona mexeu os cordelinhos da equipa. Jogou e fez jogar. Esteve nos três golos portistas. Assistiu Marega, após grande jogada individual, sofreu a falta que deu o penálti convertido por Sérgio Oliveira e fez o passe de calcanhar no golo de Luiz Díaz.

Negativo: André Villas-Boas
O treinador do Marselha apresentou uma equipa demasiado fraca e sem ambição. Fez
o primeiro remate à baliza de Marchesín aos 76 minutos... É uma equipa que ainda não marcou qualquer golo na Liga dos Campeões e já sofreu sete.

Arbitragem: Três penáltis, dois certos
Mateu Lahoz assinou três grande penalidades. Acertou nas duas primeiras, uma para cada lado, mas errou na terceira. Valeu a ajuda do videoárbitro. Consultou as imagens e reverteu a decisão. De resto, esteve à altura num jogo bem disputado.

Análise dos jogadores

Corona - Decisivo e de que maneira. Depois de uma exibição má na derrota em Paços, subiu para a sua posição e brilhou. Duas assistências (uma com classe) e sofreu o penálti que resultou no 2-0. 
Marchesín – Sem trabalho.
Manafá – Muito competente no plano defensivo.
Mbemba – Benedetto não se viu pela sua ação.
Sarr – Atuação sem reparos, mesmo com o penálti.
Zaidu – Entrou nervoso mas rapidamente se recompôs.
Uribe – Ação preponderante para travar as investidas gaulesas.
Sérgio Oliveira – Catapultou a equipa para o ataque e ajudou muito Uribe. Marcou de penálti.
Otávio – Muito compromisso e garra. Grande jogo.
Luis Díaz – Uma seta apontada à baliza contrária. Grande golo a passe de Corona.
Marega – Marcou e deu muito trabalho aos marselheses. Podia ter bisado.
Nakajima – Deu velocidade.
Fábio Vieira – Capitão aos 20 anos nos instantes finais.
Baró – Para refrescar.
Taremi – Pouco tempo.
Grujic – Não se viu.

"Permitimos muito pouco"
Sérgio Conceição mostrou-se muito satisfeito com o resultado e com a exibição de ontem diante do Marselha, no Dragão. "Foi uma interpretação fantástica dos meus jogadores, num jogo bem conseguido. Permitimos muito pouco ao adversário. Criámos mais uma ou outra ocasião que podia ter dado outro resultado", destacou o treinador portista, que deu os parabéns aos seus jogadores, valorizando a atitude de todos: "Quando todos trabalham com esta disponibilidade fica mais fácil." Conceição aproveitou para realçar o "golo fantástico" do 3-0: "É para quem diz que só jogamos bola para a frente".

O técnico aproveitou para enaltecer o trabalho do avançado Moussa Marega no encontro. "Em três anos, o Marega tem quase 70 golos no campeonato. Em cada dois jogos da Champions, o Marega tem um golo, e não é no campeonato da República Dominicana. Depois, peço-lhe para defender e ele faz este trabalho." A terminar, o treinador voltou a lamentar não haver público nas bancadas, com os adeptos a perderem a oportunidade de "aplaudir momentos fantásticos".
Ver comentários