Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Dragão puxa dos golões: FC Porto vence em dificílima visita ao Gil Vicente

Taremi colocou dragões em vantagem, mas Gil Vicente empatou de penálti. Sérgio Oliveira marcou golo da vitória dos azuis e brancos.
Sérgio Pereira Cardoso e Filipe António Ferreira 25 de Setembro de 2021 às 01:30
Corona tenta vencer a oposição de Samuel Lino, durante o jogo de ontem, em Barcelos.
Corona tenta vencer a oposição de Samuel Lino, durante o jogo de ontem, em Barcelos. FOTO: Estela Silva/Lusa
Dois golaços do FC Porto, um de chapéu e outro à bomba, deram a vitória ao FC Porto numa dificílima visita ao Gil Vicente, que marcou na recarga a um penálti. O dragão puxou dos golões para se colar ao Sporting e pressionar o líder Benfica no jogo deste sábado.

O FC Porto chegou atrasado ao estádio - devido a um acidente de viação - e à partida. Isto porque, em 50 segundos, o Gil Vicente contava já com dois remates. A resposta, porém, seria brilhante. Taremi interceta um passe e faz um chapéu de luxo do meio da rua - que golaço do iraniano! 0-1.

Corria o minuto 9 e durante outros nove houve mais FC Porto. Díaz atirou para fora um par de lances e Taremi e Fábio Vieira viram Frelih e Zé Carlos, no mesmo lance, evitar o segundo tento.

Só que, a defender, os dragões iam tremendo... até que caíram. Braço de Mbemba na área, Soares Dias alertado pelo VAR e penálti. Samuel Lino permite a defesa de Diogo Costa à primeira, mas marca à segunda. O empate manter-se-ia até ao intervalo, com marasmo azul e desespero de Conceição.

Melhorias visíveis só perto dos 60’ e, então, cinco minutos de oportunidades para Otávio, Marcano e Uribe, com Frelih a exibir-se em bom nível. Pelo meio, queixas de penálti de Taremi e um golo anulado por fora de jogo do mesmo avançado.

Sérgio começou a ir ao banco e o jogo partiu-se definitivamente, com ameaças de ambos os lados. Da ameaça à bomba foi... um tiro. O suplente Sérgio Oliveira disparou, num livre direto, um remate fantástico ao ângulo que matou definitivamente um galo duro de roer.

+ Servir o galo à Puskás
Poderá ser exagerada a referência ao prémio mundial de golo do ano, mas a verdade é que foi com arte que o FC Porto derrotou o Gil Vicente. O chapéu de Taremi e a bomba de Sérgio Oliveira pareciam desenhados com régua e esquadro.
Ver comentários