Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Dragões derrotam Santa Clara e igualam Benfica no comando da Liga

Zé Luís abriu caminho para um triunfo por duas bolas a zero.
Mário Figueiredo 23 de Setembro de 2019 às 01:30
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
 FC Porto - Santa Clara
O FC Porto somou este domingo a sexta vitória consecutiva, a quinta na Liga, ao derrotar o Santa Clara, por 2-0, num jogo que controlou desde o primeiro minuto.

Sérgio Conceição operou apenas duas alterações na equipa. Fez entrar Manafá para o lugar do castigado Alex Telles e Zé Luís recuperou da lesão e o seu lugar no ataque. Soares foi o sacrificado.

E o jogo até correu de feição para os portistas. Assumiu as rédeas da partida e cedo relegaram os açorianos para tarefas defensivas.

O dragão entrou organizado e focado em vencer o jogo para igualar o Benfica no comando da Liga (ficam ambos com 15 pontos).

Uma liderança provisória e dependente do resultado deste domingo do Famalicão em Alvalade. Mas isso são outras contas.
A verdade é que a primeira parte foi praticamente de sentido único: o da baliza de Marco Pereira. Luís Díaz e Matheus Uribe estiveram muito ativos.

O primeiro sinal de perigo foi dado por Díaz com um remate a obrigar o guarda-redes do Santa Clara a voar. Pouco depois, Marco Pereira travou o cabeceamento de Danilo.

Adivinhava-se o golo portista e não foi preciso esperar muito. Zé Luís cabeceou para o 1-0, mas o trabalho de Danilo antes de cruzar merece uma nota artística elevadíssima.

A equipa de João Henriques mostrou grandes dificuldades para explanar o seu jogo. Encolheu-se na defesa e César acabou por fazer um autogolo. Corona cruzou e o defesa ex-Benfica, quando tentou cortar a bola, introduziu-a na baliza. Os dragões justificavam esta vantagem com que foram para o intervalo.

Na etapa complementar, Patrick teve um remate traiçoeiro a testar a atenção de Marchesín.

O Santa Clara desinibiu-se e subiu no terreno. E foi num desses lances que Uribe comete grande penalidade sobre Fábio Cardoso. Saltou e deu com o cotovelo na cara do defesa central. Mas o juiz nada assinalou e o VAR não terá sido a melhor ajuda.

Dez minutos volvidos, Corona caiu na área açoreana, mas o aí VAR esteve bem ao detetar a simulação do mexicano.

Os dragões tinham o jogo controlado e o Santa Clara continuava longe de se tornar um perigo. Sérgio Conceição fez as pazes com Nakajima e colocou o japonês em campo, depois do desentendimento de ambos no último jogo da Liga, em Portimão, quando os portistas ganharam por 3-2, com um golo nos descontos. Desta vez houve um abraço no final.

Análise
Zé Luís: Instinto matador
O avançado Zé Luís apontou este domingo o seu sétimo golo ao serviço do FC Porto em oito jogos. O cabo-verdiano de 28 anos soma seis golos em seis jogos da Liga e um na Champions. Já marcou metade dos golos que fez na época passada no Spartak Moscovo.

Autogolo de César
Jogar no Dragão não é fácil para qualquer equipa. Muito menos quando os defesas fazem autogolos. Foi o que aconteceu a César. Apesar de estar sozinho acabou por cortar a bola para dentro da própria baliza. Matou as pretensões da equipa.

Penálti por assinalar
Luís Godinho tinha tudo para ter uma noite tranquila, mas complicou. Deixou passar em claro uma falta de Uribe sobre Fábio Cardoso para penálti. Nem o VAR o ajudou. No entanto, foi o VAR que evitou males maiores numa simulação de Corona na área.

Sérgio Conceição: "Podíamos ter feito mais golos"
"Fizemos um bom jogo. Marcámos dois golos, mas podíamos ter feito mais", afirmou Sérgio Conceição no final do encontro.

O treinador do FC Porto falou ainda da abordagem da equipa na segunda parte, onde lembrou o que tinha dito na antevisão: "Penso que nos primeiros 10 minutos da segunda parte não estivemos como no jogo todo. É impossível uma equipa controlar sempre durante os 90 minutos. O adversário tem qualidade. Importante é perceber que, independentemente do espaço que ocupa, a equipa está junta, e hoje estivemos organizados".

Quanto aos golos dos avançados, o técnico disse que todos os jogadores são importantes. "Nós temos muitos jogos pela frente e todos os jogadores são importantes. Têm todos que estar focados com o objetivo da equipa", garantiu. Sérgio Conceição explicou ainda a saída de Corona: "Fadiga. Foi sempre o jogador que correu mais".

Corona:"Entrámos como devíamos e fomos muito fortes na partida"
"Fizemos um bom jogo. Marcámos dois golos, mas podíamos ter feito mais", afirmou Sérgio Conceição no final do encontro. O treinador do FC Porto falou ainda da abordagem da equipa na segunda parte, onde lembrou o que tinha dito na antevisão: "Penso que nos primeiros 10 minutos da segunda parte não estivemos como no jogo todo. É impossível uma equipa controlar sempre durante os 90 minutos. O adversário tem qualidade. Importante é perceber que, independentemente do espaço que ocupa, a equipa está junta, e hoje estivemos organizados".

Quanto aos golos dos avançados, o técnico disse que todos os jogadores são importantes. "Nós temos muitos jogos pela frente e todos os jogadores são importantes. Têm todos que estar focados com o objetivo da equipa", garantiu.

Sérgio Conceição explicou ainda a saída de Corona: "Fadiga. Foi sempre o jogador que correu mais".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)