Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

FC Porto escorrega na ilha da Madeira com empate

Novo sistema foi abaixo. Golo sofrido deixou portistas à nora em relvado maltratado.
Sérgio Pereira Cardoso 31 de Outubro de 2019 às 08:52
Nequecaur salta com Pepe em lance dividido, no jogo entre Marítimo e FC Porto
Nuno Manta, técnico do Marítimo
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, criticou o árbitro e o Marítimo
Pinto da Costa e Carlos Pereira assistiram juntos ao jogo, na Madeira
Nequecaur salta com Pepe em lance dividido, no jogo entre Marítimo e FC Porto
Nuno Manta, técnico do Marítimo
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, criticou o árbitro e o Marítimo
Pinto da Costa e Carlos Pereira assistiram juntos ao jogo, na Madeira
Nequecaur salta com Pepe em lance dividido, no jogo entre Marítimo e FC Porto
Nuno Manta, técnico do Marítimo
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, criticou o árbitro e o Marítimo
Pinto da Costa e Carlos Pereira assistiram juntos ao jogo, na Madeira
Está tudo bem, não estava? Nem três dias durou a liderança do FC Porto na Liga após um escorregão - literal e metafórico - na visita ao Marítimo. O novo sistema falhou ao segundo teste num empate com dois golos às três tabelas - o dos portistas já perto do apito final de Jorge Sousa.

Em equipa que ganha não se mexe, pensou Conceição, querendo aproveitar o lanço que levou o FC Porto ao topo. Só que o 4x3x3 que esmagou o Famalicão foi engolido no Caldeirão.

O Marítimo anulou as movimentações de Otávio e foi mais agressivo no jogo interior. Lucrou logo aos 11’. Num canto, Danilo tenta o corte e faz uma assistência indesejada. Pior, pretendendo remendar o erro, ainda desvia o remate de Bambock... para golo. 1-0.

Em vantagem, o Marítimo deliciou-se a jogar em bloco baixo, vendo os dragões escorregarem num péssimo relvado e baterem sem furarem. No melhor lance antes do descanso, Amir evitou o empate a Díaz, aos 19’. Os azuis-e-brancos iam para os balneários com uma missão difícil - o FC Porto nunca dera a volta nos Barreiros a uma desvantagem no intervalo.

Conceição demorou mais 15 minutos a mexer. E sem sucesso. Só aos 84’, num canto do ‘reforço’ Telles, Soares cabeceia contra Pepe e a bola entra, apesar do esforço de Grolli. Aí sim, e só aí, aperto final dos dragões. Inglório. Empate às três tabelas. Liderança perdida na ilha.

ANÁLISE
Manta cobriu o meio-campo
Nuno Manta Santos estudou o novo sistema portista e ‘perseguiu’ Otávio, anulando a criação no meio-campo, sempre preenchido com agressividade e levando o FC Porto para as alas em que os laterais não tinham mestria para centros perigosos.

Sistema não funcionou
A bola de Pepe, aos 20’, diretamente para canto, e a desorientação do até agora exemplar Marchesín foram exemplos de equipa à deriva. Sérgio demorou a mexer no sistema que falhou o 2º teste. Ainda reclamou com o árbitro no final e viu o amarelo.

Erros técnicos e disciplinares
No 1-1, parece ser Amir a promover o contacto com Pepe - a bola entra mesmo e o golo é regular. Mas Jorge Sousa errou muitas decisões e perdoou cartões - principalmente em faltas sobre Otávio, sendo que também Otávio acabou por arriscar algo mais.

"Dar mérito aos jogadores"
"Há que dar mérito aos jogadores, que foram competentes e solidários", defendeu Nuno Manta Santos. Fizemos um golo de bola parada e a equipa uniu-se e foi disciplinada", disse o treinador do Marítimo.

Técnico repete onze titular
Sérgio Conceição repetiu esta quarta-feira, no terreno do Marítimo, o onze titular que tinha utilizado na vitória (3-0) diante do Famalicão, no passado domingo, referente à oitava jornada do campeonato.

"Estou a cagar para insultos nas redes"
"Sei que para as redes sociais isto [o empate no jogo desta quarta-feira] é fantástico, que me vão insultar. Estou a marimbar-me para isso. Estou com vontade de dizer isto: estou a cagar para isso. Estou com o foco na minha equipa e a lutar para ser campeão este ano outra vez", disse esta quarta-feira Sérgio Conceição na conferência de imprensa após o jogo com o Marítimo.

Antes, na flash interview, o treinador do FC Porto teceu mais críticas: "Como é possível fazer um jogo da Liga neste relvado, no qual houve um jogo 48 horas antes? É inexplicável. Isto não foi um jogo, foi mais uma luta. O árbitro foi conivente, tivemos mais amarelos, há seis faltas seguidas do adversário e não vê um amarelo. Querem ser mais papistas do que o papa."

Corona
Errou? Sim, como todos. Mas foi dos que mais lutou e tentou empurrar a equipa para a frente, quer a extremo, quer a lateral. Deu também chances de golo em cantos e cruzamentos.

Corona a empurrar e tanto a emperrar
o Marchesín – Irreconhecível. Nada podia fazer no golo, mas complicou numa defesa aos 74’, nos passes que errou e nos tempos de saída falhados.
o Mbemba – Perto de marcar aos 6’, foi sol de pouca dura. Correa foi dor de cabeça. Viu um amarelo e saiu aos 63’.
o Pepe – Fica na retina um passe disparatado pela linha final a dar canto. Melhorou a concentração e acabou por ser herói quase acidental.
o Marcano – Importante em certas dobras aos laterais, ia fazendo asneira num escorregão aos 69’, mas sofreu falta.
o Manafá – Irregular. Tentou esticar o jogo, só que tomou más decisões quando lhe ‘faltava’ o pé para cruzamento.
o Danilo – Mal na foto do 1-0, com muito azar pelo meio. Tenta afastar a bola por duas vezes e a mesma acaba na baliza. Quase marcou no fim.
o Uribe – Engolido pelo jogo interior madeirense. Cabeceamento fraco em cima do intervalo. Primeiro a sair.
o Otávio – Muito marcado, fartou-se de sofrer faltas. Não conseguiu jogar e enervou-se até arriscar a expulsão.
o Luis Díaz – Começou cheio de gás, numa boa primeira parte em que quase marcou. Desapareceu após o intervalo.
o Soares – Longe do jogo na primeira parte, acaba por ser decisivo no empate. A seguir... falhou o golo da vitória.
o Zé Luís – Nada acrescentou.
o Nakajima – Muitas perdas de bola e um centro perigoso.
o Alex Telles – Canto do golo. Entrada muito tardia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)