Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

FC Porto perde em Inglaterra contra Liverpool a contar para a Liga dos Campeões

Dois golos de belo efeito e nova derrota. Ficou o que já se sabia: vitória sobre o Atl. Madrid dá os ‘oitavos’.
Sérgio Pereira Cardoso e Luís Oliveira 25 de Novembro de 2021 às 08:35
Taremi, aqui numa disputa com Neco Williams, chegou a levar uma reprimenda de Sérgio Conceição num lance em que não atirou à baliza
Taremi, aqui numa disputa com Neco Williams, chegou a levar uma reprimenda de Sérgio Conceição num lance em que não atirou à baliza FOTO: Tim Keeton/ epa
Prometia ser diferente, acabou como o costume. O FC Porto até entrou bem em campo, mas voltou a sair derrotado de Inglaterra em novo desaire com o Liverpool. Contas feitas, fica o que já se sabia: se vencerem o Atl. Madrid no Dragão, os azuis-e-brancos passam aos ‘oitavos’.

Com a garantia de que já não perde o primeiro lugar, Klopp deixou habituais titulares de fora, mantendo, ainda assim, nomes que causam suores frios aos dragões - Salah e Mané. Na equipa portuguesa, Pepe conseguiu apresentar-se a jogo. Temporariamente. Já lá vamos.

Antes disso, entrada forte da turma de Conceição, agressiva e sem medo de pressionar alto. Foi assim que Otávio (8’) ganhou a bola e cruzou para Taremi. Um desvio em Matip ia dando golo. Logo a seguir, aos 12’, Otávio volta a fazer uma recuperação e Taremi lança Luis Díaz. O colombiano serve um golo cantado ao mesmo Otávio, só que o internacional português imita Seferovic na véspera e atira o ouro para fora.

Quem não marca, arrisca-se a sofrer. Ainda mais com Diogo Costa a oferecer a bola a Salah, que, porém, não soube aproveitar (24’). Foi já com Pepe substituído por lesão que o Liverpool fez mesmo um golo, por Mané. Fora de jogo e o VAR a corrigir. Do outro lado, Taremi, bem posicionado, passou ao lado e levou um raspanete de Conceição a fechar a primeira parte.

Ora, o intervalo não trouxe grandes novidades. Taremi e Uribe não conseguiram fazer melhor na hora de atirar à baliza e levaram uma lição de Thiago Alcântara. Remate incrível de primeira do médio, sem hipóteses para Diogo Costa. 1-0.

Aos 59’, Alisson até deu uma ajuda, mas Otávio voltou a decidir mal. E por falar em decidir mal, Conceição quis mexer com a equipa e meteu Vitinha e Francisco na vez de Sérgio Oliveira e Taremi. Tudo piorou. O Liverpool trouxe titulares para a discussão e dominou o jogo, chegando sem surpresas ao 2-0, por Salah. A partir daí, a maior nota chegaria de Madrid: golo do AC Milan e o FC Porto a ficar no segundo lugar antes da última e decisiva jornada

Momentos do jogo
12’
Recuperação de Otávio no meio-campo e Taremi a lançar imediatamente Díaz. O colombiano vê novamente Otávio ao lado e passa-lhe a bola. O médio, com a baliza à mercê, remata ao lado.
52’
Livre lateral para o Liverpool e corte de Otávio de cabeça para a entrada da área. Thiago Alcântara, de primeira e num gesto técnico perfeito, remata colocado para o 1-0 dos ingleses.
70’
Passe longo para Salah, que beneficia de má abordagem de Zaidu e combina com Henderson. Na área, parte os rins a Matheus Uribe e remata de pé esquerdo para o 2-0 do Liverpool.

Positivo e Negativo
+ Entrada prometeu mais
O FC Porto surpreendeu os ingleses com uma entrada forte em campo - recuperou várias bolas em zona alta e conseguiu chegar com perigo à baliza adversária. Luis Díaz deu muito que fazer aos reds.

- Otávio à Seferovic
Foram várias as oportunidades, mas, aos 12’, Otávio teve mesmo tudo para marcar, após passe de Díaz. Tal como Seferovic na véspera, atirou ao lado. Substituições de Conceição tiraram força à equipa.

ARBITRAGEM
VAR corrigiu os erros
Valeu o videoárbitro a corrigir os erros em campo - o VAR anulou o 1-0 do Liverpool na primeira parte e reverteu um penálti que tinha sido assinalado quando a falta foi fora da área.

Triunfo dá ‘oitavos’ mas está tudo em jogo
O FC Porto já sabia que a vitória sobre o Atl. Madrid daria sempre o acesso aos ‘oitavos’. O empate também pode chegar, desde que o AC Milan não vença o Liverpool. Em caso de derrota na receção aos colchoneros, os azuis-e-brancos arriscam ficar fora da Europa, novamente em caso de vitória do AC Milan.n

Díaz escapou a noite fria e desinspirada
Diogo Costa – Displicente a entregar a bola em alguns lances, sem hipóteses nos golos. Fez três defesas seguras.
João Mário – Está a ficar um senhor e muito fiável lateral-direito e esta quarta-feira enfrentou o irrequieto Mané...
Pepe – O acerto habitual antes de se lesionar após esticar a perna a fazer um corte. A idade não perdoa, chefe Pepe.
Mbemba – Bons e oportunos cortes, usa o físico para intimidar. Arriscou no fora do jogo em que Mané marcou mas VAR invalidou.
Zaidu – Reencontrou o ‘amigo’ Salah: defendeu-se como pôde mas perdeu em muitos lances.
Uribe – Bombeiro de serviço no meio-campo e, sempre que pode, tenta o golo com remates de média distância.
Sérgio Oliveira – Jogo de baixo rendimento do centrocampista. Não se ambientou ao frio de Liverpool.
Otávio – As melhores ocasiões de golo da primeira parte foram suas - 12’ e 32’ - mas falhou na concretização.
Taremi – Má decisão aos 42’ quando tinha tudo para rematar e fazer golo - passou a bola para o adversário.
Evanilson – Esforçou-se na frente, sem resultado. Muito vigiado pelos centrais rivais.
Fábio Cardoso – Entrou para substituir o capitão e tentou não comprometer.
Francisco Conceição – Foi a primeira arma secreta lançada pelo pai-míster, mas não agitou o jogo como habitual.
Vitinha – Também não correspondeu àquilo que Sérgio Conceição julgava que ele pudesse fazer no jogo.
Toni Martínez – Não teve grandes momentos para se evidenciar. Sem jogo.
Grujic – Entrou para fixar o marcador no 2-0 e impedir outros números da derrota.

Sérgio: "O problema de eficácia dá pena"
Sérgio Conceição atribuiu o desaire do FC Porto em Inglaterra à "falta de eficácia ofensiva" da sua equipa e à "qualidade individual" do adversário. "O problema da eficácia dá pena, podíamos ter resolvido a qualificação aqui. Sofremos algumas faltas, com um critério do árbitro muito alargado. Depois, foi o remate fantástico do Thiago Alcântara. Ainda criámos oportunidades, mas não deu", prosseguiu o técnico portista, acrescentando: "Falta-nos o último jogo (Atl. Madrid), mas temos de realçar as boas prestações do FC Porto em Madrid, em Milão e aqui."
Ver comentários